Confiança industrial cresce 1,1% em dezembro, diz FGV

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) avançou 1,1% em dezembro na comparação com novembro, informou na manhã desta quarta-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o desempenho, o indicador fechou o mês em 106,4 pontos, de 105,2 pontos em novembro, mantendo-se acima da média histórica recente pelo terceiro mês consecutivo. De acordo com a FGV, o avanço neste mês foi influenciado principalmente pela melhora das perspectivas para os meses seguintes.

O Índice de Expectativas (IE) subiu 1,9%, para 106,2 pontos, no período, no maior patamar desde junho de 2011 (106,5). O indicador de produção prevista foi determinante para o crescimento do IE, já que o indicador de emprego previsto manteve-se estável em patamar inferior à media e o da tendência futura dos negócios acomodou-se após alta nos meses anteriores. A proporção de empresas esperando menor produção diminuiu de 15,5% em novembro para 4,1% em dezembro, enquanto a parcela das que preveem maior produção passou de 42,4% para 39,4%.

"Já o Índice da Situação Atual (ISA), alcançou 106,5 pontos, um avanço de 0,3% em relação a novembro, igualando-se à média histórica recente. A evolução da confiança da indústria nos últimos meses revela uma trajetória moderada de crescimento do setor, sinalizando uma possível aceleração ao longo do primeiro semestre de 2013", diz a FGV. O indicador de nível de demanda (especialmente a externa) foi o que mais contribuiu para o aumento do ISA, com alta de 1,0% sobre novembro, passando para 104,6 pontos, patamar ainda inferior à média histórica recente (106,5).

Houve diminuição da frequência relativa de respostas para ambas as opções extremas (fraca e forte): a parcela de empresas que consideram a demanda fraca caiu de 13,5% para 10,1% e a proporção das que a avaliam como forte, de 17,1% para 14,7%.

Carregando...