Mercado abrirá em 18 mins

Confiança do empresário em junho aumentou em 29 de 30 setores, diz CNI

Eulina Oliveira

Para a entidade, dados mostram que o pior da crise já ficou para trás e revelam expectativa de melhora O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) cresceu em 29 dos 30 setores industriais pesquisados em junho, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Apenas no setor de produtos de limpeza, perfumaria e higiene o índice caiu, de 45,1 em maio para 43,9 em junho.

De acordo com a pesquisa, o resultado é reflexo de uma melhora generalizada das expectativas dos empresários com relação aos próximos seis meses.

O ICEI varia de 0 a 100. Em junho, o indicador aumentou 6,5 pontos, alcançando 41,2 pontos, de 34,7 em maio.

No entanto, na maioria dos setores (28), o indicador permanece abaixo da linha divisória de 50 pontos, que separa o pessimismo do otimismo. A indústria extrativa ultrapassou os 50 pontos, de 47,3 em maio para 50,8 em junho, indicando uma transição de pessimismo para otimismo neste mês. Na indústria de transformação, apenas o setor de farmoquímicos e farmacêuticos retomou a confiança neste mês (de 41,5 para 55,1 pontos).

Indústria farmacêutica ainda é o único setor otimista sobre a atividade

Ana Paula Paiva/Valor

A entidade destaca que esse avanço representa uma melhora se comparado com o mês anterior, quando o ICEI estava abaixo de 50 pontos para todos os cortes setoriais, geográficos e de portes de empresa.

“Os empresários continuam cautelosos e ainda é cedo para se esperar uma volta do investimento, mas já se percebe que o pior da crise passou e as expectativas são de retomada das atividades”, diz, em nota, o gerente-executivo de Economia, Renato da Fonseca.

De acordo com a CNI, também destacam-se positivamente os setores de Biocombustíveis (com ICEI de 48,6 pontos), Produtos de Madeira (48,2 pontos), Outros equipamentos de transporte (47,9 pontos) e Produtos alimentícios (47,3 pontos), cujo indicadores refletem a menor falta de confiança entre os setores da indústria de transformação.

O pessimismo é maior entre os empresários dos setores Couros e artefatos de couro (31,7 pontos), Vestuário e acessórios (34,4 pontos) e Calçados (35,5 pontos).

Além disso, a melhora da confiança ocorreu em todas as regiões, mas em nenhuma o ICEI alcançou a linha de 50 pontos, o que mostraria retomada da confiança. O ICEI é maior nas regiões Norte e Centro-Oeste, com índices de 47,9 e 47,6 pontos, respectivamente.