Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.202,36
    -1.919,73 (-3,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Confiança do empresário do comércio atinge menor nível desde setembro

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) caiu 6,4% de março para abril deste ano e chegou a 95,7 pontos. Essa foi a quinta queda consecutiva do indicador, que atingiu o menor patamar desde setembro do ano passado (91,6 pontos). Os dados foram divulgados hoje (26) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Na comparação com abril de 2020, o recuo chegou a 20,7 pontos. Esse foi o 13º recuo consecutivo neste tipo de comparação.

Ouça na Radioagência Nacional

Acompanhe essa e outras notícias na Radioagência Nacional


Na passagem de março para abril, a maior queda foi observada na avaliação dos empresários do comércio brasileiro sobre a situação atual (-9,6%). A opinião sobre a situação da economia apresentou piora de 12,4%.

A confiança no futuro caiu 6,2%, puxada também pela piora na avaliação sobre a situação da economia (-7,4%).

As intenções de investimento também tiveram retração (-4,1%), resultado influenciado principalmente pela intenção de contratação de funcionários, que recuou 6,3%.

Na comparação com abril do ano passado, as quedas foram de 35,7% na situação atual, de 14% nas expectativas de investimento e de 15,3% nas intenções de investimento.