Mercado abrirá em 7 h 42 min
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,30 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,36 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,05
    -2,23 (-2,92%)
     
  • OURO

    1.749,50
    -4,50 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    16.200,16
    -336,39 (-2,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,84
    -2,81 (-0,73%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,93 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.225,41
    -348,17 (-1,98%)
     
  • NIKKEI

    28.150,53
    -132,50 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    11.688,25
    -94,50 (-0,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6056
    -0,0188 (-0,33%)
     

Confiança econômica da zona do euro cai com força por alta nas expectativas de inflação

Mercado em Nice, França

BRUXELAS (Reuters) - A confiança econômica da zona do euro caiu com força e mais do que o esperado em setembro, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, com piora do sentimento entre as empresas e os consumidores.

O índice mensal de sentimento econômico da Comissão Europeia caiu para 93,7 pontos em setembro de 97,3 em agosto em dado revisado para baixo, e contra 95,0 em pesquisa da Reuters.

A confiança caiu em todos os setores econômicos, incluindo indústria, serviços, comércio varejista e entre os consumidores, mostraram os dados da Comissão, em meio a um aumento das expectativas de inflação em todos os setores.

A queda no sentimento foi mais pronunciada entre a indústria e consumidores, com os gerentes industriais reduzindo suas expectativas para a produção e exportação futuras.

A confiança das famílias caiu para -28,8 pontos de -25,0, já que os consumidores esperam um agravamento da situação financeira nos próximos meses e previram cortes em seus planos de compras.

As expectativas de inflação aumentaram em todos os setores pesquisados após a queda nos meses anteriores, apesar da promessa do Banco Central Europeu de combater a espiral de preços com aumentos múltiplos das taxas de juros.

(Reportagem de Francesco Guarascio)