Mercado abrirá em 2 h 33 min
  • BOVESPA

    124.612,03
    -1.391,83 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.910,53
    +12,74 (+0,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,89
    +0,24 (+0,33%)
     
  • OURO

    1.799,90
    +0,10 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    40.211,36
    +2.806,14 (+7,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    943,07
    +66,83 (+7,63%)
     
  • S&P500

    4.401,46
    -20,84 (-0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.058,52
    -85,79 (-0,24%)
     
  • FTSE

    7.014,77
    +18,69 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.957,25
    +9,50 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1065
    -0,0019 (-0,03%)
     

Confiança da zona do euro atinge máxima de 21 anos com reaberturas

·1 minuto de leitura

BRUXELAS (Reuters) - A confiança econômica da zona do euro melhorou em junho e atingiu uma máxima de 21 anos, com o ritmo acelerado de vacinações contra a Covid-19 possibilitando mais reaberturas e um clima melhor em todos os setores da economia, especialmente no varejo e serviços.

A pesquisa mensal da Comissão Europeia para os 19 países que compartilham o euro mostrou nesta terça-feira que o otimismo subiu para 117,9 pontos em junho, de 114,5 em maio, superando as expectativas de pesquisa da Reuters de uma melhora para 116,5.

A confiança foi muito melhor em serviços, o maior setor da zona do euro que é responsável por mais de dois terços do Produto Interno Bruto (PIB). O subíndice subiu para 17,9 pontos em junho, de 11,3 em maio, muito acima das expectativas.

A confiança no setor de varejo aumentou de 0,5 ponto em maio para 4,5 pontos.

O otimismo na indústria, construção e entre os consumidores também aumentou, embora de forma mais modesta.

O sentimento na Alemanha atingiu uma máxima histórica e melhorou nos seis maiores países da União Europeia, exceto na Espanha, onde diminuiu ligeiramente.

Consumidores também começaram a esperar uma inflação mais alta nos próximos 12 meses, com a leitura subindo a uma máxima de 13 meses, para 24,7.

(Por Philip Blenkinsop)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos