Mercado fechado

Confiança da indústria sobe em dezembro após três meses de queda

Fábrica da AGE do Brasil em Vinhedo

BRASÍLIA (Reuters) - A confiança da indústria no Brasil subiu 1,2 ponto em dezembro, após três meses de quedas consecutivas, refletindo melhora na avaliação sobre a situação atual, mostraram dados da Fundação Getulio Vargas nesta quarta-feira.

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) do FGV IBRE foi a 93,3 pontos este mês. Na média móvel trimestral, o índice ainda recuou 2,1 pontos.

O Índice Situação Atual (ISA) cresceu 2,0 pontos em dezembro, para 93,8 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) recuou 0,2 ponto, para 92,8 pontos. Foi registrada alta da confiança em 11 dos 19 segmentos industriais monitorados pela sondagem.

No ISA, o indicador que mede a situação atual dos negócios foi o que mais influenciou positivamente, subindo 2,8 pontos, em meio a uma percepção de ligeira melhora da demanda e redução dos estoques no período.

"A confiança da indústria melhorou em dezembro, mas não foi suficiente para recuperar as perdas sofridas no ano. Parte da indústria sofreu com problemas de insumos, e outra com redução de demanda, levando a um aumento dos estoques em 2022", disse Stéfano Pacini, economista do FGV IBRE, em nota à imprensa.

Ele acrescentou que, em relação às percepções de futuro, os empresários seguem cautelosos quanto às contratações, em meio a um cenário de desaceleração econômica e política monetária contracionista.

O indicador que mede as perspectivas sobre emprego piorou pelo quarto mês consecutivo, caindo 4,2 pontos para 95,1 pontos, menor patamar desde julho de 2020 (93,0 pontos). O indicador se mantém abaixo dos 100 pontos, o que sinaliza uma desaceleração das contratações nos próximos meses.

Já o indicador que mede as perspectivas sobre a produção para os próximos três meses subiu 3,0 pontos, para 94,1 pontos.

(Por Isabel Versiani)