Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,40
    -1,26 (-1,52%)
     
  • OURO

    1.797,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    58.713,78
    -2.116,14 (-3,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.403,73
    -70,60 (-4,79%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.797,87
    -300,37 (-1,03%)
     
  • NASDAQ

    15.618,25
    +31,00 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4182
    -0,0065 (-0,10%)
     

Confiança do consumidor dos EUA se estabiliza em setembro, mostra Universidade de Michigan

·1 minuto de leitura
Feira de rua próxima à Times Square, em Nova York

(Reuters) - A confiança do consumidor nos Estados Unidos se estabilizou no início de setembro depois de recuar no mês anterior para o nível mais baixo em quase uma década, mas os consumidores continuam a ter uma visão sombria das perspectivas em meio ao salto da inflação, mostrou uma pesquisa nesta sexta-feira.

A Universidade de Michigan informou que seu índice de sentimento do consumidor subiu para 71 na primeira metade de setembro, de 70,3 em agosto -- nível mais fraco desde dezembro de 2011. Economistas consultados pela Reuters projetavam uma leitura de 72.

A avaliação sobre as condições atuais caiu ainda mais, a 77,1, de 78,5 em agosto, enquanto o índice de expectativas futuras da pesquisa foi a 67,1, de 65,1, que havia marcado o patamar mais baixo desde 2013.

"A forte queda em agosto do sentimento do consumidor acabou no começo de setembro, mas o ganho pequeno ainda significa que os consumidores esperam as perspectivas econômicas menos favoráveis em mais de uma década", disse em comunicado o diretor da pesquisa, Richard Curtin.

A visão dos consumidores para a inflação permanece elevada. A perspectiva de inflação em um ano ficou em 4,7% este mês, igualando a leitura de julho, que havia sido a mais elevada desde 2008, de 4,6% em agosto. A perspectiva de cinco anos, por sua vez, permaneceu em 2,9%.

(Reportagem de Dan Burns)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos