Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.426,03
    +70,08 (+0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Condições de crédito colocam em risco aperto quantitativo

(Bloomberg) -- Os amplos prêmios de risco no setor de crédito provavelmente levarão os bancos centrais a diminuírem o aperto quantitativo mais cedo do que o esperado, com a esperança de que as taxas de juros façam a maior parte do trabalho pesado na redução da inflação.

Os riscos de apertar a liquidez em um mundo altamente endividado se tornam cada vez mais nítidos. Os ativos de risco foram castigados, mas ainda mais preocupante para os bancos centrais é a ampliação dos spreads de crédito.

O motivo é a queda acentuada no excesso de liquidez que dá suporte aos ativos. Quando está em declínio como atualmente, os ativos ficam sem um colchão de segurança, o que leva à aversão ao risco e à ampliação dos spreads.

A redução da carteira do Fed, do BCE e outros bancos centrais irá contrair ainda mais a liquidez. Assim como o aumento da liquidez faz todos os barcos flutuarem, sua contração pode afundar todos eles. Cada dólar da base monetária suporta US$ 10 de crédito, e cada US$ 1 destruído no aperta leva US$ 10 de crédito com ele.

A Europa já anunciou que pode ser flexível no uso de resgates para apoiar títulos. Esta é potencialmente uma mudança antecipada para permitir que o BCE aumente juros enquanto seu balanço ficq neutro ou em expansão.

O Fed, como o BCE, também se encontra em uma posição impossível. O crescimento nos EUA está diminuindo e uma recessão pode acontecer em um futuro não muito distante. O Fed provavelmente terá que pausar ou até reverter o curso muito mais cedo do que o mercado antecipa.

É preciso ficar de olho nos spreads de crédito de alto risco nos EUA - especialmente nos dias após o anúncio do Fomc - pois eles ainda podem empurrar o Fed na direção em que o BCE já está indo. Os prêmios de risco no setor de crédito são a ligação mais direta entre a economia real e os mercados.

Os spreads de crédito em geral nos EUA vêm aumentando com velocidade crescente, com os rendimentos de alto quase dobrando este ano. Os principais indicadores mostram que os spreads devem aumentar ainda mais.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos