Mercado abrirá em 5 hs
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,11 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,12 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,33
    +0,43 (+0,66%)
     
  • OURO

    1.835,30
    +4,00 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    58.492,80
    +446,34 (+0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.557,50
    +121,72 (+8,48%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,26 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.140,82
    +11,11 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    28.538,91
    -71,74 (-0,25%)
     
  • NIKKEI

    29.518,34
    +160,52 (+0,55%)
     
  • NASDAQ

    13.660,25
    -49,50 (-0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3645
    -0,0006 (-0,01%)
     

Concurso de Elon Musk com ideias para remover CO2 dará prêmio de US$ 100 milhões

Danielle Cassita
·3 minuto de leitura

Nesta quinta-feira (22), foi celebrado o Dia da Terra, um evento global que tem o objetivo de conscientizar a população mundial sobre a necessidade da preservação do nosso planeta. Assim, para aproveitar a ocasião, a competição Carbon Removal X Prize foi lançada no mesmo dia: trata-se de um concurso apoiado por Elon Musk e pela organização Musk Foundation, com o objetivo de incentivar — com o prêmio na soma de US$ 100 milhões — o desenvolvimento de tecnologias que ajudem a evitar os piores efeitos das mudanças climáticas causadas pela ação humana

Marcius Extavour, vice-presidente de clima e ambiente na X Prize, alertou sobre a ameaça que as mudanças climáticas representam, e explicou: “mesmo que sigamos correndo para alcançar a neutralidade do carbono, a matemática climática diz que temos que acelerar o desenvolvimento e lançamento de soluções que sejam carbono negativas, e o prêmio é sobre isso”. Assim, a competição desafia os interessados a demonstrar formas de remover grandes quantidades do gás do ar ou dos oceanos durante os próximos quatro anos.

Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, será necessário remover cerca de 10 gigatoneladas de CO2 anualmente, até 2050, para manter o aumento de temperaturas abaixo de 1,5 ºC ou 2 ºC (Imagem: Reprodução/Marcin Jozwiak/Unsplash)
Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, será necessário remover cerca de 10 gigatoneladas de CO2 anualmente, até 2050, para manter o aumento de temperaturas abaixo de 1,5 ºC ou 2 ºC (Imagem: Reprodução/Marcin Jozwiak/Unsplash)

As soluções dos participantes terão que “sequestrar” o dióxido de carbono de forma durável e sustentável. Mas, para vencer a competição e levar o grande prêmio, as equipes terão que apresentar uma solução que funcione na escala de pelo menos mil toneladas removidas a cada ano, com modelos dos custos na escala de 1 milhão de toneladas por ano. O desafio não acaba aí: eles também terão que mostrar o caminho que precisa ser percorrido para que seja possível alcançar uma escala de gigatoneladas no futuro.

Durante a primeira fase, os participantes precisam apresentar qual será o principal componente da solução que vão desenvolver para remover carbono. Então, depois de um ano de competição, os jurados vão avaliar os projetos apresentados e conceder até 15 prêmios, que terão o valor de US$ 1 milhão cada um. Qualquer solução de carbono negativo é válida para a competição, seja por métodos naturais, seja pela captura do dióxido de carbono diretamente pelo ar ou outras formas que as equipes desenvolverem.

Após quatro anos, os jurados vão selecionar os vencedores, e o maior prêmio ficará para o final da competição, em 2025. O finalista que tiver criado uma solução de remoção de carbono e for escolhido como vencedor individual vai receber US$ 50 milhões, enquanto US$ 30 milhões serão divididos entre os três times finalistas. Por fim, o X Prize também prevê a premiação de US$ 5 milhões ainda neste ano, que será destinada para equipes de estudantes desenvolverem seus projetos.

As inscrições já estão abertas para interessados de todo o mundo. Segundo as informações da competição, as equipes podem ser formadas por grupos de estudantes universitários ou escolares, startups, empresas de portes variados, organizações comunitárias, famílias e até participantes individuais. A competição vai se estender até o Dia da Terra de 2025 e, para saber mais sobre o projeto e como se inscrever, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: