Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.788,10
    -23,10 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    18.125,65
    +357,60 (+2,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Concessão da Cedae volta a andar após reunião de governo estadual com BNDES

Por Rodrigo Viga Gaier
·2 minuto de leitura

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O processo de concessão da companhia de água e saneamento do Rio de Janeiro, Cedae, voltou a caminhar nesta segunda-feira após o governo do Rio de Janeiro ameaçar desistir do processo por discordar de algumas premissas do modelo idealizado pelo BNDES, afirmaram três fontes com conhecimento do assunto.

O sinal verde para a retomada dos planos foi dado após uma reunião no Palácio Guanabara com representantes do Estado e do BNDES. As partes estão perto de atingirem acordo sobre um ponto considerado chave para o futuro da concessão: o valor da água que será vendida pela Cedae ao novo concessionário.

O governador em exercício, Cláudio Castro, afirmou que as divergências sobre o modelo de concessão estão sendo superados. "Em pouco tempo vamos anunciar detalhes, tem a questão do valor da água, cronograma de investimento e o passivo. A Cedae que fica não pode ser deficitária", afirmou. "O cronograma continua. Será uma grande concessão e a maior da história do país", disse Castro após a reunião com representantes do BNDES.

Segundo as fontes, os valores em discussão para a água que será vendida ao vencedor do leilão da Cedae oscilam entre 1,5 real e 2 reais o metro cúbico.

O governo do Rio pretende conceder duas das quatro principais áreas de negócios da Cedae, as que envolvem distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto. A Cedae permaneceria sob controle do governo fluminense nas áreas de captação e tratamento da água.

"Estamos perto de um valor ideal", disse à Reuters uma das fontes. "A conta é simples: se a água for vendida mais cara, o lance no leilão será menor. Se o valor for menor, mais perto de 1,50 real, maior tende a ser o valor do lance", adicionou uma segunda fonte.

O governo do Rio espera poder arrecadar cerca de 15 bilhões de reais com a concessão, segundo as fontes, valor acima do piso pretendido anteriormente de quase 11 bilhões de reais.

O leilão da Cedae estava marcado para ocorrer até o fim deste ano e agora é previsto para o primeiro trimestre de 2021.

"Nosso piso é 11 bilhões de reais, mas o céu é o limite...Quem sabe não vem 20 ou 30 bilhões", disse o governador em exercício do Rio de Janeiro.

No final de setembro, o grupo BRK Ambiental, que tem entre os investidores a canadense Brookfield, surpreendeu o mercado ao oferecer outorga de 2 bilhões de reais para vencer o leilão de concessão de serviços de água e esgoto da região metropolitana de Maceió. O mínimo definido no edital era de cerca de 15 milhões de reais.