Mercado fechará em 6 h 36 min
  • BOVESPA

    119.372,20
    +75,07 (+0,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,42
    +1,24 (+2,06%)
     
  • OURO

    1.739,80
    -7,80 (-0,45%)
     
  • BTC-USD

    64.495,02
    +1.515,97 (+2,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.388,53
    +94,54 (+7,31%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.916,05
    +25,56 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.995,75
    +20,00 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8528
    +0,0216 (+0,32%)
     

Concessão da Cedae tem 12 empresas interessadas até agora

Taís Fuoco
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Equatorial Energia, Iguá Saneamento e Aegea estão entre as 12 empresas que agendaram mais de 2.000 visitas técnicas para conhecer as instalações da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro, cuja concessão vai a leilão em 30 de abril, segundo a Casa Civil do Rio de Janeiro.

O interesse despertado até agora e o tamanho do projeto levam o governo do Rio a acreditar que o leilão aconteça mesmo em meio à pandemia do coronavírus, disse Nicola Miccione, secretário do Estado da Casa Civil.

Ele afirma que o projeto trará melhorias para a saúde da população, para o meio ambiente e o turismo, além de gerar empregos e valorização imobiliária. “A pandemia não deve apresentar riscos à concessão” do que ele chama do “maior projeto de infraestrutura do Rio”.

No caso da Cedae, o processo envolve a concessão dos serviços de distribuição de água e esgotamento sanitário em um total de 35 municípios do Rio de Janeiro, com 13 milhões de pessoas atendidas. A outorga tem preço mínimo de R$ 10,6 bilhões, e a concessão foi dividida em 4 blocos que abrangem as diferentes regiões do Rio. Cada empresa interessada pode arrematar um ou mais blocos, segundo a Casa Civil.

Faz parte do processo de concessão o investimento de R$ 2,6 bilhões na despoluição da Baía da Guanabara e de R$ 2,9 bilhões no Rio Guandu, além de ampliar a tarifa social para uma fatia da população 10 vezes maior que a atual e de investir R$ 1,8 bilhão em favelas e comunidades por três anos sem aumento de tarifa para os moradores.

A previsão do governo do Rio é de que os contratos com as concessionárias sejam assinados até o fim do 1º semestre de 2021 e que no primeiro semestre de 2022 elas assumam os serviços nos quatro blocos, após um período de operação assistida.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.