Mercado fechado

COMPUTEX 2020 é oficialmente cancelada após adiamento para setembro

Rafael Arbulu

É oficial: a COMPUTEX 2020 está terminantemente cancelada devido à pandemia da COVID-19, que vem tirando eventos importantes do calendário desde março deste ano. A informação foi confirmada pelo Conselho de Desenvolvimento do Comércio Exterior (TAITRA) de Taiwan, em sua conta oficial no Twitter e por meio de comunicado à imprensa.

“Desde 11 de junho, mais de 7,35 milhões de pessoas em 187 países foram diagnosticadas [com COVID-19], afetando a economia, comércio, transporte, convenções e turismo. Dando o devido crédito ao governo por se adiantar na prevenção ao vírus, Taiwan tem apenas 443 casos confirmados”, informa o comunicado, citando a doença não como causa direta, mas o fato de que ela impôs restrições a diversas empresas programadas para exibirem seus produtos na feira, que é realizada anualmente em Taipei.


Adicione a isso o fato de que Taiwan está com suas fronteiras fechadas para o mundo, sem previsão de reabertura. Atualmente, somente estrangeiros com documentação residencial é que podem entrar no país e, diante destes casos, quem desembarcar por lá é obrigado a entrar em uma quarentena de 14 dias, por ordem do governo.

A organização havia posicionado a COMPUTEX, um dos eventos mais tradicionais de informática do mundo e lugar comum para anúncios de grande magnitude (como novas placas de vídeo, processadores e serviços, por exemplo), para o costumeiro mês de junho. Diante da explosão da pandemia em escala global, o TAITRA havia optado por adiá-la até setembro, seguindo um procedimento que já haviam conduzido no passado. Entretanto, pelo fato da COVID-19 não ter aliviado seu avanço ao longo destes três meses, a edição deste ano acabou cancelada e a feira retornará apenas em 2021, no mês de junho.

Como forma de compensar a ausência da COMPUTEX este ano, a organização vem, desde o começo de junho, organizando transmissões ao vivo de keynotes planejadas originalmente para o show. Em 2 e 3 de junho, tivemos lives relacionadas às tendências da tecnologia e discussões do 5G e uma streaming fechada para negociadores conversarem com representantes da indústria em busca de novos acordos e parcerias. Há uma terceira live planejada para 29 de junho, onde startups devem exibir seus produtos e serviços, e o lançamento de uma plataforma online para este mesmo fim em 28 de setembro.

Histórico de adaptação

Não é a primeira vez que a COMPUTEX teve que reajustar seu calendário em vista de uma pandemia global. Durante a proliferação da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), em 2003, a organização moveu a feira para o mês de setembro, novamente removendo-o do plano original de junho. Na ocasião, a pandemia acabou sendo majoritariamente contida dentro desse período, permitindo a realização da feira sem grandes necessidades de mudança.

Entretanto, a situação de 2003 difere — e muito — da atual: a SARS teve 8 mil casos confirmados e 800 mortes mundialmente. Já a COVID-19, de acordo com o mapa global criado pelo Google, já tem em sua conta 7.273.958 de casos confirmados mundialmente, com 413.372 óbitos. E especialistas argumentam que, embora alguns países estejam em uma situação mais confortável em relação ao vírus, nós ainda não vimos o seu pico, o que incentivou empresas de todo o mundo a instituírem práticas de trabalho remoto, em respeito ao isolamento social preventivo da doença.

Fonte: Canaltech