Mercado fechará em 3 h 10 min
  • BOVESPA

    111.226,71
    -2.356,30 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.153,02
    -445,51 (-0,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,78
    -0,67 (-0,89%)
     
  • OURO

    1.737,80
    -14,20 (-0,81%)
     
  • BTC-USD

    41.241,40
    -1.688,22 (-3,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.020,69
    -36,45 (-3,45%)
     
  • S&P500

    4.347,97
    -95,14 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    34.280,85
    -588,52 (-1,69%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.785,50
    -409,25 (-2,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3480
    +0,0412 (+0,65%)
     

Compras de GNL dos EUA pelo Brasil perto de volumes de asiáticos

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Os Estados Unidos embarcaram mais gás natural liquefeito ao Brasil na semana passada, quando o país se juntou à Coreia do Sul, China e Japão como um dos maiores importadores do produto americano em 2021.

Com 80 cargas totais em trânsito, pelo menos dez petroleiros atualmente têm como destino a China, enquanto Brasil e Coreia do Sul devem receber seis cargas cada, segundo dados de navios analisados pela Bloomberg News. No acumulado do ano, o Brasil agora tem apenas sete carregamentos a menos do que o Japão, que ocupa o terceiro lugar na importação de GNL dos EUA.

Muitas das cargas para a China estão há semanas em trânsito, mas pelo menos uma partiu em setembro, enquanto o país tenta reduzir a demanda em meio a preços mais altos. Pelo menos dois embarques em setembro têm como destino o Brasil, que atualmente enfrenta uma crise hídrica.

A oferta para exportações dos EUA continua forte, com a média móvel de cinco dias para fluxos líquidos em 11 bilhões de pés cúbicos em 8 de setembro, 4,9% acima da média do ano até o momento.

Exportadores carregaram 19 navios-tanque até o momento em setembro, uma redução de 4,4% em cargas por dia em relação a agosto, quando 88 cargas foram exportadas.

Desempenho semanal

Na semana até 6 de setembro, 16 navios-tanque chegaram a 7 países. A Coreia do Sul liderou o ranking mundial com 4 carregamentos, seguida por Brasil, China e Taiwan, cada um dos quais recebeu três cargas.

No acumulado do ano, a Coreia do Sul lidera com 91 embarques, a China recebeu 82 petroleiros e o Japão, 79, seguido pelo Brasil com 72 importações.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos