Compras no e-commerce dever ter maior participação da classe C

SÃO PAULO – A participação da classe C no e-commerce tende a aumentar, por conta do maior acesso à internet, revelou a pesquisa realizada pela Officina Sophia Retail. Atualmente, dos consumidores que compram em lojas virtuais, 21% pertencem à classe C e 79% das classes A e B.

Os dados ainda mostram que quando se trata de compras em lojas físicas, a participação na classe C sobe para 44%, enquanto das outras duas cai para 56%.

Para a diretora da Officina, Valéria Rodrigues, o consumidor tende a abandonar a loja física a medida que inicia a experiência no e-commerce. “Embora a decisão de compra da maioria dos consumidores ainda recaia pela loja física, a pesquisa mostra que os canais on-line têm se destacado como importante fonte de informação para a comparação de preços, produtos e marcas”, explica Valéria.

A praticidade tem sido um atrativo para os consumidores do e-commerce. Na cidade de São Paulo, dos 63% consumidores que compram em lojas virtuais, 18% afirmou que a praticidade influenciou mais que a comparação de preços.

Novas compras
O levantamento mostra que entre os consumidores de lojas virtuais, 88% têm intenção de usar novamente a internet para compras de eletroeletrônicos e eletrodomésticos. Já dos compradores de lojas físicas, 32% consideram a possibilidade de comprar em lojas virtuais nas próximas compras. 

Cerca de 30% dos consumidores da cidade de São Paulo consideram a possibilidade de adquirir algum produto via on-line. Enquanto no interior, o índice sobe para 35%. Os principais produtos procurados são livros, brinquedos, viagens, eletrodomésticos e calçados.

Carregando...