Mercado fechará em 55 mins
  • BOVESPA

    100.233,91
    -783,05 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.962,48
    -283,38 (-0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,72
    +1,16 (+3,01%)
     
  • OURO

    1.911,50
    +5,80 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    13.679,28
    +572,05 (+4,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    271,36
    +10,07 (+3,86%)
     
  • S&P500

    3.404,07
    +3,10 (+0,09%)
     
  • DOW JONES

    27.609,85
    -75,53 (-0,27%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.594,00
    +101,75 (+0,89%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6935
    +0,0530 (+0,80%)
     

Compra de imóvel da Ford é aprovada pelo Cade

Juliano Basile
·1 minuto de leitura

O órgão antitruste verificou que a operação não deverá prejudicar a competitividade Steven Senne/AP A compra pela Construtora São José Desenvolvimento Imobiliária e pela Fram Capital de imóvel pertencente à Ford foi aprovada pela Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Essa operação envolve a aquisição de imóvel com finalidade ao desenvolvimento de um novo empreendimento no segmento de galpões industriais e armazéns para locação e venda em São Bernardo do Campo (SP). As empresas informaram ao Cade que os veículos de investimento que irão adquirir o imóvel ainda não foram definidos, mas deverão envolver os grupos econômicos da São José e Fram Capital. Também foi alegado que a Construtora São José e a Fram Capital pretendem construir e organizar galpões industriais e armazéns no imóvel para locação e venda para terceiros. “A finalidade que se pretende dar ao imóvel é, pois, diferente da destinação que até hoje foi dada até o momento pela Ford”, apontou a Superintendência. Com isso, esse órgão antitruste verificou que essa operação não deverá prejudicar a competitividade neste setor. Logo, ela não irá afetar negativamente outras empresas que atuam no setor de imóveis. Assim, esse negócio foi aprovado pelo Cade. “A operação proposta não contempla cláusulas de não concorrência”, destacou essa entidade ao dar aval a esse negócio.