Mercado fechará em 1 h 5 min
  • BOVESPA

    116.167,08
    +32,62 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.983,79
    +554,04 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,28
    +2,65 (+3,17%)
     
  • OURO

    1.732,80
    +30,80 (+1,81%)
     
  • BTC-USD

    20.121,05
    +518,21 (+2,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,69
    +11,25 (+2,53%)
     
  • S&P500

    3.785,29
    +106,86 (+2,91%)
     
  • DOW JONES

    30.271,82
    +780,93 (+2,65%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.607,25
    +321,50 (+2,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1651
    +0,0912 (+1,80%)
     

Competição entre bancos e fintechs ficou mais equilibrada com alta dos juros, diz Itaú

*Arquivo* RIO DE JANEIRO, RJ, 25.07.2022 - Fachada de agência do banco Itaú na rua Voluntários da Pátria, no Rio de Janeiro. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
*Arquivo* RIO DE JANEIRO, RJ, 25.07.2022 - Fachada de agência do banco Itaú na rua Voluntários da Pátria, no Rio de Janeiro. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O aumento dos juros no Brasil e nos mercados desenvolvidos nos últimos meses e o consequente crescimento no custo de captação de recursos pelas empresas tornou a competição entre bancos e fintechs mais equilibrada.

A avaliação foi compartilhada nesta quinta-feira (1º) pelos copresidentes do conselho de administração do Itaú, Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles.

"Saímos da defesa e partimos para o ataque para conquistar novos espaços no mercado", afirmou Setubal, durante evento promovido pelo banco nesta manhã.

"É fácil crescer oferecendo preços baixos e subsidiados para atrair clientes", acrescentou Setubal. No entanto, à medida que as fintechs precisam entregar resultados em um ambiente de mercado mais complexo, a competição "fica mais equânime", disse o executivo.

Tendo proliferado no mercado nos últimos anos em um ambiente de juros extraordinariamente baixos e com as pessoas dentro de casa por causa da pandemia, as novas empresas digitais passaram a enfrentar mais dificuldades neste ano, com uma série de fintechs promovendo demissões em massa para se adequar ao novo ambiente de normalização dos juros e retomada da atividade presencial.

Moreira Salles afirmou ainda que, com o aperto nas condições financeiras em escala global, as fintechs passaram a enfrentar um ambiente mais difícil para expandir suas operações, com uma cobrança maior por parte dos investidores para que comecem a entregar resultados no curto prazo, e não mais mirando apenas horizontes de médio e longo prazo.

As novas empresas digitais "têm que se adequar a uma realidade mais parecida com a que a gente vive", afirmou Moreira Salles. "Nossa capacidade de competir se tornou maior e melhor."

Em um cenário de aumento dos juros que favoreceu os resultados das grandes instituições financeiras, o Itaú Unibanco registrou um lucro líquido de R$ 7,679 bilhões no segundo trimestre de 2022, o que corresponde a um crescimento de 17,3% na comparação com igual período do ano passado.

No ano passado, a disputa entre bancos e fintechs chegou a ganhar ares acalorados, com manifestações públicas nas redes sociais de ambos os lados sobre os juros cobrados pelas instituições e eventuais assimetrias regulatórias que favoreceriam as novas empresas digitais do ramo financeiro.