Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.951,05
    +24,38 (+0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Competição e ambiente macro dificultam altas de preços em educação, diz Cogna

SÃO PAULO (Reuters) - A indústria de educação do Brasil está procurando nos últimos meses elevar preços de cursos, mas o cenário de competição ferrenha e fraqueza econômica das famílias tem criado dificuldades para as empresas, afirmou o presidente da maior empresa no setor, Cogna, nesta sexta-feira.

"Alguns grupos começaram com intenção de subir os tíquetes (preços) médios, mas isso se deteriorou ao longo do ciclo de captação de alunos e na segunda metade do ciclo vimos mais descontos...pela concorrência e pelo contexto econômico", afirmou Roberto Valério Neto, em conferência com analistas.

A Cogna divulgou na noite da véspera prejuízo maior no terceiro trimestre, mas com crescimento da receita da unidade de ensino superior, Kroton, o primeiro após mais de três anos.

Segundo o executivo, o mercado está lidando com uma "inelasticidade de preços" em que "não adianta mais baixar preço porque não traz mais volume (de alunos)". Por conta disso, a Kroton tem focado em melhorar as safras de captação com alunos que possam permitir aumento de receita da empresa.

O executivo avalia que em 2023 há espaço para melhora nos índices de inadimplência da alunos da Kroton, o que deve ajudar a melhorar margens de lucro da companhia.

Perguntado sobre as perspectivas da empresa com o governo de Luiz Inácio Lula da Silva em 2023, Valério Neto afirmou que a Cogna vai participar de "todos os programas" educacionais que forem propostos e que a empresa tem capacidade para crescer a base de alunos sem precisar de grandes investimentos.

(Por Alberto Alerigi Jr.)