Mercado fechará em 5 h 38 min

Compass e Renegade híbridos virão ao Brasil abaixo de R$ 200 mil

feedback@motor1.com (Daniel Messeder)
Jeep PHEVs At CES Live Image

Modelos chegarão importados da Itália a partir do segundo semestre deste ano

A FCA aproveita a CES 2020, feira de tecnologia realizada em Las Vegas (EUA) para apresentar ao público norte-americano as versões híbridas dos Jeep Compass e Renegade (chamadas 4xe), com motorização híbrida plug-in, ou seja, que podem ser carregados na tomada. A boa notícia para os brasileiros é que a marca já confirmou a vinda de ambos os modelos para nosso mercado ainda neste ano. A princípio, virão importados da Itália. 

Veja também:

Produzidos na planta de Melfi, tanto o Renegade quanto o Compass 4xe adotam o motor 1.3 turbo de 180 cv (uma variante do nosso 1.3 Firefly) para mover as rodas dianteiras por meio de um câmbio automático de 6 marchas. Já o eixo traseiro é impulsionado por um motor elétrico de 60 cv, montado em uma versão modificada do subchassi dos modelos de tração integral. A potência combinada chega a 240 cv, fazendo com que a aceleração de 0 a 100 km/h fique na casa dos 7 segundos. 

Jeep PHEVs At CES Live Image

No caso do Renegade, o tanque de combustível foi reduzido de 48 litros para 39 litros, liberando espaço para o conjunto de baterias. O porta-malas também foi afetado, perdendo 15 litros em comparação aos 351 litros da versão europeia. O sistema híbrido todo, contando as baterias, fez com que o carro pesasse 120 kg a mais do que a versão 2.0 turbodiesel.

Em ambos, a autonomia no modo 100% elétrico pode chegar a 50 km. Já o consumo médio é estimado em torno de 47 km/litro. A recarga da bateria (de íons-lítio e capacidade de 11,4 kWh) pode ser feita pelo motor a combustão ou via tomada (com tempo estimado de 3 horas no modo rápido).

Jeep PHEVs At CES Live Image
Jeep PHEVs At CES Live Image

O primeiro Jeep eletrificado a chegar ao Brasil será o Renegade, pois sua produção na Itália já começou, enquanto o Compass deve demorar mais alguns meses. A previsão da FCA é que o preço, nos dois casos, não supere a barreira dos R$ 200 mil - a se confirmar este valor, viria numa faixa semelhante à do Toyota RAV4 Hybrid, com a vantagem se serem do tipo plug-in. Já a produção nacional é estudada para um futuro próximo, talvez quando o motor 1.3 turboflex comece a ser fabricado no Brasil, o que tornaria os modelos 4xe flexíveis em combustível. 

A Fiat também estuda a venda da nova geração do compacto 500e, 100% elétrico, em nosso mercado. Algumas unidades deverão vir para testes neste ano, mas o lançamento local ainda não está confirmado.

Com reportagem de Nicolas Tavares, de Las Vegas