Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.813,21
    -1.128,47 (-1,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.750,93
    -848,45 (-1,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,46
    -1,68 (-1,97%)
     
  • OURO

    1.839,20
    +7,40 (+0,40%)
     
  • BTC-USD

    36.137,98
    +962,11 (+2,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    821,48
    +10,88 (+1,34%)
     
  • S&P500

    4.352,45
    -45,49 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    33.961,26
    -304,11 (-0,89%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.253,25
    -173,25 (-1,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2258
    +0,0358 (+0,58%)
     

Comparativo Redmi 10 x Moto G30: as diferenças estão nos detalhes

·8 min de leitura

Xiaomi Redmi 10 e Moto G30 são dois representantes de uma categoria chamada por alguns especialistas de “intermediários de entrada”. Ou seja, celulares que têm um pouco mais do que apenas as funções mais básicas, mas que não chegam à potência de modelos mais completos.

Eles são recomendados para quem quer um bom smartphone a preço não tão caro, com duração para mais de dois anos sem apresentar engasgos em tarefas mais comuns.

E aí, claro, fica a dúvida: qual dos dois é mais indicado? E para responder a ela, o Canaltech preparou este comparativo.

Veja abaixo os detalhes de Redmi 10 e Moto G30 e o que muda de um para o outro. No final, apresento as faixas de preço e resumo qual é mais indicado para cada tipo de pessoa.

Design e construção

A aparência de Redmi 10 e Moto G30 é pouca coisa diferente, e os detalhes ajudam a identificar cada modelo. O tamanho também é quase igual, com uma pequena diferença na altura e na espessura, sendo que neste segundo caso é quase imperceptível.

  • Redmi 10: 162 x 75,5 x 8,9 mm, 181 g;

  • Moto G30: 165,2 x 75,7 x 9,1 mm, 200 g.

Veja que o Moto G30 é um pouco mais alto, apesar de ambos terem tela com o mesmo tamanho e tipo de painel.

Isso significa que as bordas do Redmi 10 são menores. O peso é a diferença mais considerável, já que o celular da Xiaomi tem quase 20 gramas a menos.

Quanto à aparência na frente, o Redmi 10 usa o furo para a câmera no centro bem colado à borda superior, enquanto o Moto G30 tem um notch em gota.

Atrás, módulos de câmera retangulares nos dois, um pouco maior no modelo da Xiaomi.

Ambos têm acabamento em plástico na traseira e nas laterais, mas vidro na frente. Os conectores USB-C para dados e energia e P2 para fone de ouvido estão presentes em ambos.

A localização do leitor de impressão digital também muda, dependendo do aparelho que você escolher. O Redmi 10 tem o sensor integrado ao botão de energia, enquanto o Moto G30 mantém o leitor na parte traseira, um pouco abaixo das câmeras.

Tela

As telas são praticamente idênticas, e possuem as mesmas características técnicas, além de proporção igual, de 20:9. Há apenas uma diferença que pode ser considerada fundamental para algumas pessoas: a resolução.

  • Redmi 10: IPS LCD de 6,5 polegadas com resolução Full HD+ (1080 x 2400 pixels), 90 Hz;

  • Moto G30: IPS LCD de 6,5 polegadas com resolução HD+ (720 x 1600 pixels), 90 Hz.

Com a opção do Full HD+, a Xiaomi consegue entregar densidade de pixels maior em seu dispositivo. Isso aumenta a nitidez da imagem.

Pode não ser muito perceptível para muita gente, mas quem faz questão da definição melhor, deve acabar optando pelo Redmi 10 por conta disso.

Redmi 10 tem módulo de câmeras bastante destacado (Imagem: Ivo/Canaltech)
Redmi 10 tem módulo de câmeras bastante destacado (Imagem: Ivo/Canaltech)

Ambos possuem tela IPS LCD, que entrega cores realistas, mas peca no contraste e também na intensidade do brilho. Pode ser um pouco difícil de enxergar conteúdo na rua, em dias ensolarados, por exemplo.

Outra característica que vale a pena citar é a taxa de atualização de 90 Hz, presente em ambos. Ela garante maior fluidez em animações do sistema e ao navegar em sites e redes sociais. Mas ainda não está muito presente em jogos.

Configuração e desempenho

Redmi 10 e Moto G30 têm plataformas diferentes, inclusive de fabricantes distintas. Desde já, eu recomendo que você evite ficar lendo cada número das especificações técnicas de cada uma. No fim do dia, não há mudança notável entre o Helio G88 e o Snapdragon 662.

  • Redmi 10: MediaTek Helio G88 (12nm), processador Octa-core (2x 2,0 GHz Cortex-A75 + 6x 1,8 GHz Cortex-A55), Mali-G52 MC2;

  • Moto G30: Qualcomm Snapdragon 662 (11 nm), processador Octa-core (4x 2,0 GHz Kryo 260 Gold + 4x 1,8 GHz Kryo 260 Silver), Adreno 610.

Ambos vão entregar um bom desempenho para as tarefas mais comuns, e vão rodar jogos mais ou menos com a mesma capacidade.

São celulares que ainda ficam consideravelmente longe do poder de um topo de linha, e há muitos intermediários mais potentes que esses dois. Mas eles já têm alguma sobra para processos mais simples.

Moto G30 traz leitor de impressão digital na traseira (Imagem: Ivo/Canaltech)
Moto G30 traz leitor de impressão digital na traseira (Imagem: Ivo/Canaltech)

Os dois estão oficialmente à venda no Brasil em modelos com 4 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno. Porém, é possível encontrar o Redmi 10 em versões com mais memória, junto a importadores.

Sistema operacional

Aqui, não tem muita escolha: você vai de Android. A questão é ir de Android mais limpo ou um mais personalizado. O primeiro está presente no Moto G30, e tem bastante funções, mas são praticamente as mesmas que existem em qualquer celular. A empresa só adiciona seus gestos e alguns recursos de tela.

Já a Xiaomi usa a MIUI, que tem muita opção extra. Fica uma interface um pouco confusa, mas com algum tempo de uso você se habitua e passa a encontrar tudo o que precisa de maneira bem rápida.

E aí tem uma diferença importante: o Moto G30 só tem a atualização de uma versão do Android garantida, e provavelmente vai parar no 12. O Redmi 10 pode até parar no mesmo Android 12, mas deve receber algumas novas funções da MIUI por alguns anos a mais.

Câmeras

Em números, a câmera do Moto G30 parece superior à do Redmi 10. A principal tem 64 MP contra 50 MP, e a frontal fica em 13 MP contra 8 MP, enquanto as outras três (ultra wide, macro e profundidade) são iguais.

  • Redmi 10: 50 MP (f/1.8, principal) + 8 MP (f/2.2, ultra wide 120°) + 2 MP (f/2.4, macro) + 2 MP (f/2.4, profundidade); 8 MP (f/2.0, frontal);

  • Moto G30: 64 MP (f/1.7, principal) + 8 MP (f/2.2, ultra wide, 118°) + 2 MP (f/2.4, macro) + 2 MP (f/2.4, profundidade); 13 MP (f/2.2, frontal).

Mas fotografia não é só especificação de hardware. A parte do processamento da imagem, como o sistema lida com as informações de luz disponíveis e o traduz em pixels que representam a imagem teoricamente à frente do sensor, pode mudar tudo.

Redmi 10: exemplos de fotos

Moto G30: exemplos de fotos

Pela minha experiência com os dois celulares, eu diria que o Redmi 10 consegue replicar melhor a imagem fotografada. O Moto G30 apresenta ruídos e falhas com mais frequência — mesmo que não seja tanta — e erra um pouco mais no balanço de branco, também.

Mas o celular da Xiaomi tem suas falhas. Ele tende a exagerar na exposição e pode ter faixa dinâmica menor em alguns casos, o que gera fotos com áreas estouradas para tentar registrar o que está na sombra.

No geral, você tem cores um pouco mais precisas e mais nitidez no Redmi 10. O Moto G30 consegue um nível maior de detalhes, mas peca um pouco na precisão das cores.

Por outro lado, se você gosta imagens com tons mais quentes, vai preferir o celular da Motorola.

Bateria

Redmi 10 e Moto G30 têm a mesma capacidade de carga da bateria: 5.000 mAh. Mas há uma boa diferença na estimativa de uso dos dois. O celular da Motorola pode até aguentar dois dias de uso normal, enquanto o da Xiaomi passa um pouco de um dia.

Isso fica evidente no teste de reprodução de vídeos. O Redmi 10 tem cerca de 21 horas de estimativa de uso na Netflix, enquanto o Moto G30 chega a 27 horas. Se você pensar que isso seria o tempo ininterrupto com a tela ligada e processador em uso baixo, dá para entender meu cálculo acima.

Afinal, você não vai ficar um dia inteiro só assistindo a filmes e séries na Netflix, certo? Primeiro, porque você não deixa o celular 24 horas com a tela acesa. Segundo, porque vai alternar com outras tarefas, e algumas mais exigentes.

Redmi 10: galeria de fotos

Moto G30: galeria de fotos

Além disso, tudo vai depender de que outros apps tem instalados. Como o seu uso é o mesmo independente do celular que escolher, as chances de conseguir mais tempo longe da tomada no Redmi 10 do que no Moto G30 são pequenas.

Ambos vão ficar pelo menos o dia inteiro sem precisar de uma recarga, e isso já está de bom tamanho.

Quanto à recarga, são 18 W no modelo da Xiaomi e até 20 W no da Motorola. O Moto G30 tem mais tempo de uso com menos tempo na tomada, mas a diferença é bem pequena.

Redmi 10 vs Moto G30: qual vale a pena?

Além das características bastante semelhantes, os dois aparelhos também ficam em uma faixa de preço parecida, entre R$ 1.200 e R$ 1.500.

E isso só torna ainda mais difícil escolher entre um ou outro na hora de comprar seu novo celular, né? Então deixa eu tentar facilitar um pouco.

O Redmi 10 vai ser um pouco melhor em processamento e câmeras, além de ter resolução de tela maior. O único problema mais sério é que, na faixa de preço citada, você só vai encontrá-lo com importadores, que só oferecem 90 dias de garantia contra defeitos de fabricação.

Já o Moto G30 tem bateria melhor e não fica muito longe em nenhum outro quesito. E seu preço é para o modelo com garantia de 12 meses pela fabricante.

Assim, se você quer essa proteção extra, pode ir de Motorola sem medo de acabar com um celular infeiror.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos