Mercado abrirá em 5 h 43 min

Comparativo: Novato Kia Rio EX encara o líder Chevrolet Onix Premier

br.info@motor1.com (Daniel Messeder)
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix

Irmão de base do HB20 não tem motor turbo, mas investe em outros encantos

O Onix não estava nem no papel quando a Kia revelou pela primeira vez as intenções de trazer o compacto Rio ao Brasil. Isso aconteceu no começo dos anos 2000, época em que a Chevrolet se preparava para lançar por aqui a segunda geração do Corsa (terceira em termos globais). De lá para cá muita água passou embaixo desta ponte, com tempo de a GM matar o Corsa (o nome hoje é da PSA, que comprou a Opel), lançar o Agile, enterrar o Agile, lançar o Onix e então, no ano passado, apresentar a segunda geração do hatch que se tornou o líder de vendas no país.

O Rio também evoluiu, mas do outro lado do mundo. Ao contrário do GM, que foi trocando de nome e projeto, o compacto da Kia seguiu com a nomenclatura que faz homenagem à Cidade Maravilhosa. Mais perto do Brasil (passou a ser fabricado no México em 2017), o hatch enfim chegou ao nosso mercado no começo deste ano, determinado a buscar seu lugar ao sol num segmento cheio de (bons) pretendentes - incluindo seu primo de projeto, o Hyundai HB20.

Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix

Para sabermos com qual força o Rio desemboca no Brasil (eu não podia perder esse trocadilho), escalamos o Onix como rival para a estreia. Reunimos as versões topo de linha, Rio EX (R$ 78.990) e Onix Premier (R$ 74.790), para um comparativo completo e destrinchamos o duelo a seguir.

Espaço e praticidade

Rio e Onix acompanharam a tendência de crescimento dos hatches compactos, de modo que o Kia tem entre-eixos de 2,58 m (maior da categoria) e o Chevrolet mede 4,16 m (mais longo do segmento). São medidas que até alguns anos atrás correspondiam a modelos médios, como o Golf MK4.

Isso deu aos novos compactos a possibilidade de ser o único carro casa e não fazer feio ao levar a família ou fazer as compras do mês. Tanto o modelo nacional quanto o mexicano levam quatro adultos de 1,80 m sem grandes restrições, sendo o Rio um pouco melhor no espaço para as pernas e o Onix um pouco melhor nos ombros. Já no porta-malas o Kia vence com certa facilidade: 325 litros (novo campeão da categoria, batendo o Sandero e seus 320 litros) contra 275 litros do Chevrolet, embora visualmente o compartimento do Onix pareça maior do que sugere sua ficha técnica.

Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix

A superioridade do Rio também se dá no conforto, com bancos mais aconchegantes e de espuma mais espessa, além do revestimento mais agradável ao toque (o "couro" do Kia engana bem melhor como pele, enquanto o Chevrolet deixa claro ser sintético). Ambos contam com bom ângulo de abertura das portas e práticas alavancas para o ajuste de altura do banco do motorista, mas só o Onix ajusta o volante em altura e profundidade (só altura no Rio). O mexicano é melhor no espaço para pertences, com um porta-objetos maior à frente da alavanca de câmbio (onde fica o carregador de celular por indução no GM) e porta-copos mais bem-definidos ao lado do freio de mão.

Os principais comandos estão bem localizados nos dois carros, tendo o Kia como ponto forte o tamanho e a clareza dos botões, além das portas USB e 12V bem destacadas abaixo da ventilação. No Chevrolet, os comandos do ar-condicionado poderiam ficar um pouco mais acima, mas nada que desabone o bom projeto de cabine do Onix.

Vantagem: Rio

Acabamento e equipamentos

Um item deixa bem clara a proposta de cada carro nos quesitos acima: porta USB traseira. Enquanto o Onix traz duas, o Rio tem uma só, mas a do Kia tem tampinha e é iluminada. Ou seja, o hatch nacional oferece mais coisas, mas o coreano é mais refinado. Isso pode ser observado em diversos aspectos da cabine, como a qualidade dos materiais utilizados no acabamento e arremates. Embora empregue plástico rígido no painel e portas, o Rio não aparenta ser simples ou barato, de modo que não encontramos rebarbas ou peças desalinhadas. O mesmo não pode ser dito do Onix, que basicamente manteve o nível de acabamento do modelo anterior. Seus plásticos são mais simples e suscetíveis a riscos, enquanto o tato de componentes como comandos dos vidros elétricos, botões do ar-condicionado e mesmo o revestimento do volante e do pomo do câmbio são menos agradáveis que os do Kia.

Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix

O bem estar a bordo do Rio, porém, poderia ser completo caso ele trouxesse alguns dos mimos que a Chevrolet oferece no Onix, tais como internet a bordo (via chip 4G com mensalidade), carregador de celular sem fio, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, sistema de estacionamento automático e partida por botão, além da chave presencial. Só o Chevrolet também vem com o útil alerta de ponto cego na capa dos retrovisores externos.

Controles de tração e estabilidade, sistema de monitoramento da pressão dos pneus e câmera de ré são itens de série nos dois, mas o GM vem com 6 airbags (frontais, laterais e de cortina) e o Kia se limita aos frontais obrigatórios. Um item interessante do Rio é o farol com luz de assistência de manobra, que acende mais uma lâmpada correspondente ao lado para o qual o o volante está girando. Os dois trazem LEDs para iluminação diurna, sendo que no Kia no recurso fica dentro do próprio farol e no GM é uma faixa na parte inferior do para-choque - que, aliás, elimina os faróis de neblina, uma falta sentida em viagens noturnas.

As centrais multimídia são equivalentes em tamanho (tela de 7") e facilidade de uso, ambas com uma interface rápida e conexões Apple CarPlay e Android Auto. A do Kia tem grafismo mais refinado, que combina com os do quadro de instrumentos, mas a da GM inverte o jogo ao oferecer a internet a bordo. Já a telinha de LCD no centro do quadro de instrumentos é simples nos dois carros, deixando a desejar para rivais que trazem telas maiores e coloridas. Falha boba no Rio e em todos os Kia com motor flex é a ausência do consumo médio e instantâneo no computador de bordo.

Com o Rio melhor no acabamento e o Onix nos equipamentos, aqui temos um empate.

Vantagem: empate

Ao volante

Se o Onix resistiu aos motores de 3-cilindros até esta segunda geração, agora ele só vem equipado com propulsores do tipo - nesta caso, um 1.0 turbo. Já a Kia bem que quis trazer o Rio com o 1.0 turbo de 3 cilindros e injeção direta do HB20, mas a Hyundai barrou. Restou ao hatch aproveitar o 1.6 já conhecido de outros modelos do grupo, como o próprio HB20 e o Creta em suas versões intermediárias. Tem quatro cilindros e é aspirado, mas é um dos melhores da classe, com duplo comando variável (admissão e escape) e saudáveis 130 cv de potência no etanol - mais que os 116 cv. Só que o torque de 16,5 kgfm demora para aparecer (4.500 rpm), enquanto o turbinado tricilíndrico da GM entrega 16,8 kgfm logo cedo (2.000 rpm). Essa diferença fica clara ao volante.

Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix

O Rio acelera de modo uniforme e sem "vazios", mas sua inércia é um pouco maior que a do HB20, parecendo um pouco pesado até embalar. Já o Onix tem um claro "lag" abaixo de 2 mil giros, mas depois disso ganha fôlego superior ao do rival, deixando o Rio para trás sem dificuldades tanto nas acelerações quanto nas retomadas - 0 a 100 km/h em 10,9 contra 11,9 segundos e 80 a 120 km/h em 7,0 contra 7,9 segundos. Melhor para o coreano no câmbio, que tem trocas sempre suaves (o do GM é bom, mas suas mudanças são mais perceptíveis) e modo esportivo, além de aceitar mudanças pela própria alavanca. No GM, as trocas manuais só são habilitadas quando a alavanca está em L (Low, para reduções) e, feitas por botões na alavanca, desestimulam o uso do recurso.

A dinâmica do Onix casa melhor com o motor turbo, tendo uma direção mais direta e uma suspensão firme, além de rodas maiores (16 x 15") e pneus mais largos (195/55 contra 185/65), que deixam o hatch da GM "animadinho" em trechos sinuosos. No Rio é notório o acerto mais voltado ao conforto, com uma suspensão bem calibrada entre suavidade e estabilidade, passando mais macio sobre lombadas e defeitos da pista em geral - sem abrir mão de um bom controle nas curvas, no entanto. O mesmo vale para a direção, um pouco menos comunicativa, e para o ruído interno, bastante reduzido. Também é melhor nas vibrações, ajudado pelo motor de 4 cilindros - os blocos de 3 cilindros são naturalmente mais "vibrantes", embora o da GM não seja dos piores neste sentido.

Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix

O cilindro a menos e a litragem menor fazem diferença no consumo a favor do Chevrolet, e por margem superior a 1 km/litro tanto na cidade quanto na estrada, com etanol. No trânsito urbano, o Rio estica um pouco mais as marchas para embalar, mas, na rodovia, ambos rodam com giro baixo a maior parte do tempo. Em sexta marcha, cravam 2.500 rpm a 120 km/h.

Vantagem: Onix

 

Compra e manutenção

Embora não pague Imposto de Importação por vir do México (que tem acordo comercial com o Brasil), a Kia ainda tem a barreira do dólar alto (acima dos R$ 4,4) para conseguir precificar o Rio de forma competitiva no Brasil. Para chegar a uma equação positiva, a marca coreana cortou alguns equipamentos (difícil bater o Onix em recheio) e ainda assim ficou mais caro que o rival: R$ 78.990 na versão EX, tendo ainda mais R$ 1.600 de pintura metálica ou R$ 2.300 de perolizada. Em compensação, a garantia é de 5 anos, contra 3 da Chevrolet.

Também com pacote de itens fechado, a versão Premier do Onix começa em R$ 74.790, tendo acréscimo de R$ 700 na cor branca (sólida) ou R$ 1.590 nas metálicas - menos preto e laranja, sem cobrança adicional. Com uma rede maior, a Chevrolet também cobra menos na hora das revisões, com uma vantagem de cerca de R$ 400 nas três primeiras manutenções, conforme mostra o quadro abaixo.

  1ª REVISÃO2ª REVISÃO3ª REVISÃOTOTALKia Rio 1.6 R$ 512,77 R$ 687,68 R$ 512,77 R$ 1.713,22 Chevrolet Onix 1.0 T R$ 280,00 R$ 564,00 R$ 468,00 R$ 1.312,00

Vantagem: Onix

 

Conclusão

Fosse no começo dos anos 2000 ou agora, a Kia não tem pretensões de entrar na briga dos hatches mais vendidos do país. Pelo contrário, com volume pequeno, a ideia é ser uma opção diferenciada em relação a Onix, HB20, Ka e cia. Neste comparativo, o Rio mostrou exatamente isso: é uma alternativa válida ao Onix, principalmente para quem prioriza conforto e acabamento em vez de desempenho ou equipamentos. E deve conquistar alguns fãs, especialmente entre aqueles que não curtiram o novo visual do HB20 ou os que desejam não ter o mesmo carro do vizinho. 

Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix
Comparativo: Kia Rio x Chevrolet Onix

No cômputo geral, porém, é difícil bater o Onix. O hatch compacto da GM oferece bom espaço, boa relação entre desempenho e consumo, dinâmica interessante e um pacote de equipamentos sem igual na categoria a um preço, digamos, justo. Segue como o carro a ser batido no segmento.   

Fotos: autor/Motor1.com 

 

Fichas técnicas

  Chevrolet Onix PremierKia Rio EXMOTOR dianteiro, transversal, três cilindros, 12 válvulas, 999 cm3, comando duplo variável, turbo, flex

dianteiro, transversal, quatro cilindros, 16 válvulas, 1.591 cm3, duplo comando variável, flex

POTÊNCIA/TORQUE 116 cv a 5.500 rpm; 16,3/16,8 kgfm a 2.000 rpm 123/130 cv a 6.000 rpm; 16,0/16,5 kgfm a 4.500 rpm TRANSMISSÃO câmbio automático de 6 marchas; tração dianteira câmbio automático de 6 marchas; tração dianteira SUSPENSÃO

independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira

independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira RODAS E PNEUS liga-leve aro 16" com pneus 195/55 R16 liga leve aro 15" com pneus 185/65 R15 FREIOS discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS e ESP discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS e ESP PESO 1.113 kg em ordem de marcha 1.141 kg em ordem de marcha DIMENSÕES comprimento 4.163 mm, largura 1.731 mm, altura 1.476 mm, entre-eixos 2.551 mm comprimento 4.065 mm, largura 1.725 mm, altura 1.450 mm, entre-eixos 2.580 mm CAPACIDADES tanque 44 litros, porta-malas 275 litros tanque 45 litros, porta-malas 325 litros PREÇO

R$ 74.790 (como testado R$ 76.380)

R$ 78.990 (como testado R$ 81.290) MEDIÇÕES MOTOR1 BR     Onix 1.0T ATRIO ATAceleração       0 a 60 km/h

5,1 s

5,3 s   0 a 80 km/h 7,8 s

8,1 s

  0 a 100 km/h 10,9 s 11,9 s Retomada       40 a 100 km/h em D 7,4 s 8,8 s   80 a 120 km/h em D 7,0 s 7,9 s Frenagem       100 km/h a 0 36,2 m 40,6 m   80 km/h a 0 22,6 m 24,7 m   60 km/h a 0

12,9 m

13,7 m Consumo       Ciclo cidade 8,2 km/l 7,2 km/l   Ciclo estrada 12,3 km/l

11,0 km/l