Mercado fechará em 4 h 51 min
  • BOVESPA

    109.662,50
    +548,34 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.270,01
    +461,45 (+1,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,77
    +2,06 (+2,69%)
     
  • OURO

    1.643,60
    +10,20 (+0,62%)
     
  • BTC-USD

    20.179,72
    +1.062,57 (+5,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    461,36
    +2,22 (+0,48%)
     
  • S&P500

    3.696,80
    +41,76 (+1,14%)
     
  • DOW JONES

    29.529,40
    +268,59 (+0,92%)
     
  • FTSE

    7.040,30
    +19,35 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.490,25
    +174,00 (+1,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1459
    -0,0335 (-0,65%)
     

Comparativo AirPods Max x Sony WH-1000XM5: qual é o melhor headphone?

Dentre todos os fones de ouvido que eu analisei para o Canaltech nos últimos meses, o Sony WH-1000XM5 e o AirPods Max, da Apple, certamente estão no topo das melhores experiências. Um traz som e cancelamento de ruído espetaculares, enquanto o outro oferece integração com outros dispositivos e modo ambiente ou transparência de respeito.

Entretanto, nenhum dos dois é perfeito, por isso preparei este comparativo para apontar todos os defeitos e qualidade de cada um. Ao final, indicarei qual dos dois deve ser a melhor opção. E se você se interessar por algum deles ao final desta matéria, deixarei links confiáveis para comprar sem dor de cabeça. Vamos nessa?

Construção e design

O AirPods Max e o WH-1000XM5 são headphones completamente diferentes em construção e design. O fone de ouvido da Apple tem uma aparência mais luxuosa, apostando em conchas de alumínio e haste de aço inoxidável. Embora pareça mais um artigo de luxo que um fone, é mais pesado do que eu gostaria.

Headphone da Apple aposta em materiais de luxo, mas fica pesado (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
Headphone da Apple aposta em materiais de luxo, mas fica pesado (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Provavelmente, se você for utilizá-lo por longos períodos, como em uma viagem mais demorada, pode ser que seu peso maior incomode. Nos meus testes com ele, não consegui usá-lo por um dia inteiro, já que a alça apertou um pouco na parte de cima, e o material da concha esquentou rapidamente.

Outro detalhe que não curti no headphone da Apple foi a fragilidade. O material da alça parece danificar com muita facilidade, sem contar a falta de alguma certificação contra água ou poeira. Além disso, sujeiras ficam bastante visíveis no AirPods Max, principalmente no modelo branco.

O Sony WH-1000XM5 também não é um primor em design, mas ele é mais adequado para quem utiliza headphones no home office ou em viagens longas. É extremamente confortável graças ao novo material sintético, deixando-o bem leve, e as novas almofadas são mais ajustáveis às orelhas do usuário.

Outra vantagem do headphone da Sony em relação ao AirPods Max é a praticidade. Por aqui, é possível ajustar a alça e a almofada, fazendo com que ele caiba em uma case de transporte compacta. O fone da Apple, por outro lado, não tem possibilidade de ajuste, e a Smart Case é bem grande.

Sony WH-1000XM5 tem novo material que o deixou mais leve e confortável (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
Sony WH-1000XM5 tem novo material que o deixou mais leve e confortável (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Esse novo material sintético, no entanto, vem com alguns pontos negativos. O primeiro deles é a facilidade para registrar marcas de gorduras. Outro detalhe é que o WH-1000XM5 aparenta ser frágil, sendo necessário limpá-lo regularmente, além de evitar o contato com objetos pontiagudos.

Conectividade

Como eu indiquei na minha análise completa do AirPods Max, é possível conectá-lo a smartphones, notebooks e computadores que não sejam da Apple, mas não dá para aproveitá-lo ao máximo. Caso você o pareie com um celular Android, por exemplo, perderá recursos importantes como atualizações de software e detecção automática.

Além disso, o headphone da Apple não tem aplicativo dedicado, tudo fica disponível dentro das configurações do dispositivo pareado, seja iPhone ou MacBook. Ou seja, praticamente é um produto exclusivo para usuários da Maçã.

Essa exclusividade é reforçada pela ausência de uma entrada P2 comum. Mesmo quem tiver um iPhone terá que comprar um cabo P2 especial, com ponta Lightning, que custa R$ 399, se quiser ouvir músicas com mais qualidade.

AirPods Max tem entrada Lightning e P2 especial precisa ser adquirido separadamente (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
AirPods Max tem entrada Lightning e P2 especial precisa ser adquirido separadamente (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Mas, assim, se você já tiver um iPhone, certamente não se arrependerá, pois a integração é excelente. Basta retirar o headphone da Smart Case para ele ser reconhecido pelo smartphone e pronto, só colocar no ouvido. Você também consegue fazer a troca rápida caso tenha um MacBook.

O Sony WH-1000XM5, por sua vez, funciona da mesma forma tanto em dispositivos Android como iPhones. Ele tem Bluetooth 5.2, tecnologia Google Fast Pair, para pareamento rápido com smartphones Android, e Swift Pair, este compatível com computadores Windows 10 ou 11.

A Sony disponibiliza o aplicativo Headphone Connect, compatível com Android e iOS, para acessar todos os recursos de som e configurações do Sony WH-1000XM5. O software não é o mais bonito e intuitivo que já utilizei, mas ele é bem completo e funciona igualmente nas duas plataformas.

Som

São dois headphones bastante competentes em som, sem dúvidas as melhores experiências que tive no segmento. Se fosse para citar uma diferença pela qual eu escolheria o Sony WH-1000XM5, seria no equilíbrio das frequências em sacrificar os graves.

Os sub-graves são de muita qualidade, e isso fica perceptível principalmente no pop. Em “NDA” e “bad guy”, da Billie Eilish, os vocais e os hi-hats aparecem com bastante brilho, enquanto os graves preenchem a música.

Headphone da Sony se destaca pelo equilíbrio das frequências (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
Headphone da Sony se destaca pelo equilíbrio das frequências (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Com relação ao AirPods Max, em alguns momentos notei que o headphone diminuiu os graves para favorecer os médios e agudos, algo que ficou claro em "Reapers", da banda Muse. Mas essa crítica ficou mais restrito no rock, pois em outros gêneros obtive ótima separação de instrumentos e pouquíssimas distorções, além de médios e agudos brilhantes.

No microfone, nenhum dos dois é excepcional. O headphone da Sony peca mais na captação com um efeito metalizado, principalmente em chamadas no Google Meet. O AirPods Max também possui esse defeito, porém com menos intensidade.

Cancelamento de ruído e modo ambiente (transparência)

Antes de analisar o Sony WH-1000XM5, o AirPods Max era o headphone com o melhor cancelamento de ruído que já usei. Nos meus testes, ele conseguiu isolar sons de veículos numa avenida movimentada da zona norte de São Paulo quase por completo.

Também não tive problema com conversas em ambiente fechado, mas notei que elas não somem completamente. No geral, tem uma atuação excelente e ideal para a maioria dos usuários.

Entretanto, ainda acho os headphones da Sony as referências quando o assunto é cancelamento de ruído. Usando o WH-1000XM5 no escritório do Canaltech, com mais de 10 pessoas conversando e teclando em simultâneo, parecia que eu estava dentro de uma cápsula porque não conseguia ouvir absolutamente nada ao meu redor.

Headphone da Sony segue o rei do cancelamento de ruído, mas modo ambiente ainda é do AirPods Max (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
Headphone da Sony segue o rei do cancelamento de ruído, mas modo ambiente ainda é do AirPods Max (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Na rua e no transporte público, aconteceu o mesmo: os ruídos dos veículos, as vozes das pessoas, e até aquele ruído irritante do metrô de São Paulo, são reduzidas. As frequências médias e altas ainda são percebidas, mas com menos intensidade que nas gerações passadas.

Se o fone da Sony se sai ligeiramente melhor no cancelamento de ruído, o modelo da Apple “dá um banho” quando o assunto é o modo ambiente. Nesse modo, os oito microfones do AirPods Max conseguem transmitir sons do ambiente e vozes com muita nitidez e nada soa artificial.

Bateria

Com relação à bateria, o AirPods Max promete 20 horas de uso com apenas uma recarga tanto com os modos de cancelamento de ruído e ambiente ativados, quanto com o áudio espacial ligado. Eu consegui passar cerca de uma semana com AirPods Max usando-o moderadamente, com três horas diárias.

Um grande ponto negativo do headphone da Apple é que ele não desliga, apenas entra no modo repouso quando colocado na Smart Case. Talvez ele pudesse durar um pouco mais longe da tomada se possuísse um botão para desligar manualmente.

Talvez a bateria do AirPods Max durasse mais se tivesse um botão de energia (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
Talvez a bateria do AirPods Max durasse mais se tivesse um botão de energia (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

O Sony WH-1000XM5 se destaca nesse quesito, prometendo até 30 horas de bateria. Em um dos dias de teste, comecei a usar o WH-1000XM5 por volta das 11h00, alternando entre músicas e chamadas de voz, sempre com cancelamento de ruído ou modo ambiente ativados. Por volta das 21h00, o headphone ainda estava em cerca de 79%.

AirPods Max x Sony WH-1000XM5: qual é o melhor?

Como eu comentei no início deste comparativo, nenhum dos dois é perfeito. Mas, colocando-os numa balança, o Sony WH-1000XM5 é uma opção mais agradável, até mesmo se você for usuário da Apple.

Nada no headphone da Sony incomoda tanto a ponto de desconsiderar a sua compra: tem ótimos som, bateria, cancelamento de ruído e conectividade. Somente o design deixou a desejar, embora seja extremamente confortável.

A única coisa que pode afastar os usuários desse modelo é a indisponibilidade no Brasil, já que a Sony deixou o nosso mercado há alguns anos. Ainda assim, você consegue importá-lo por preços na faixa dos R$ 3.000.

Diferentemente do rival, o AirPods Max tem pontos que me fariam desconsiderá-lo como próximo headphone. Além do preço, que pode chegar a R$ 5.000 em varejistas nacionais, seu design me pareceu problemático e desconfortável em longos períodos de uso.

A inutilidade da Smart Case e a aparente fragilidade do fone também são inaceitáveis para um headphone tão caro. A bateria, por sua vez, poderia ser melhor se houvesse um botão de desligar.

Para não me chamarem de 'hater' da Apple, destaco positivamente o som do AirPods Max, um dos melhores que já testei, e os modos de cancelamento de ruído e transparência. No entanto, não justificam seu preço ainda muito alto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: