Mercado abrirá em 6 h 31 min

Companhias aéreas revisam previsão de tráfego para baixo

·1 minuto de leitura
A recuperação é melhor nos mercados nacionais do que nas viagens internacionais, muito afetadas pelo ressurgimento do coronavírus em agosto
A recuperação é melhor nos mercados nacionais do que nas viagens internacionais, muito afetadas pelo ressurgimento do coronavírus em agosto

As companhias aéreas revisaram para baixo sua previsão de tráfego para 2020, avaliado em -66% (contra -63% na previsão anterior) em relação a 2019, depois de um mês de agosto "desastroso" e de uma retomada do tráfego mais fraca que o previsto - anunciou a IATA nesta terça-feira (29).

A temporada de verão do Hemisfério Norte tem sido pior que o esperado, com uma demanda "extremamente baixa" em agosto e um tráfego (medido pela renda por passageiro) 75,3% menor que o mesmo mês do ano passado, segundo a Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA), que representa 290 companhias aéreas e estima que esta situação ilustra uma "recuperação mais fraca" que a prevista.

A recuperação é melhor nos mercados nacionais do que nas viagens internacionais, muito afetadas pelo ressurgimento do coronavírus em agosto, segundo a organização.

Apenas a Rússia recuperou seu nível do ano passado em agosto em seu mercado interno. Registrou, inclusive, um aumento de 3,8% do tráfego, graças a uma política de "preços baixos" e a uma população que passou suas férias no país, segundo a IATA.

A IATA estima também que o tráfego aéreo mundial não vai recuperar seu nível anterior à crise até 2024 e que, em 2020, o setor - um dos mais afetados pela pandemia da covid-19 - terá um prejuízo de cerca de US$ 419 bilhões.

sw/as/eb/mab/aa/tt