Mercado fechado

Companhia de saneamento do Ceará protocola prospecto preliminar de IPO

Álvaro Campos

Em 2018, a Cagece reportou um lucro líquido de R$ 77,4 milhões, uma expansão de 6.350% A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) protocolou nesta terça-feira prospecto preliminar na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para a realização de uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). A oferta será parte primária, com os recursos indo para o caixa da empresa, e parte secundária, sendo que nesse caso os acionistas vendedores são o governo do Ceará e a prefeitura de Fortaleza.

Reprodução/Cagece.com.br

A operação é coordenada por Bradesco BBI e XP Investimentos e deve ser feita por meio de units, que reúnem ações ON e PN. Uma fatia de no mínimo 10% será destinada a investidores não institucionais. A Cagece é controlada pelo governo do Ceará, com uma fatia de 88,4%, e a prefeitura de Fortaleza, com 11,4%. O restante está nas mãos de minoritários.

Criada em 1971, a Cagece atende atualmente quase 5,4 milhões de clientes em 152 dos 184 municípios do Ceará. Na parte de abastecimento, a companhia possui mais de 14,7 mil quilômetros de redes e adutoras e 168 estações de tratamento de água. Já em esgotamento, são 4,89 mil km de redes e 277 estações de tratamento de esgoto.

Em 2018, a Cagece teve receita bruta de R$ 1,370 bilhão, com crescimento anual de 16,4%. O lucro líquido ficou em R$ 77,4 milhões, com expansão de 6.350%. A dívida líquida da companhia é de R$ 331,7 milhões.

No prospecto, a Cagece afirma que tem um grande potencial de expansão das suas atividades, especialmente na parte de esgotamento sanitário, a um baixo custo marginal.

“Podemos observar esse potencial quando observamos a evolução das economias ativas, tanto para os serviços de abastecimento de água, que passaram de 1,723 milhão em 2013 para 1,878 milhão em 2018, quanto para os serviços de esgotamento sanitário, que passaram de 643 mil para 802 mil”, diz.