Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.504,51
    -3,66 (-0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Companhia de baixo custo Flybondi terá mais voos entre Brasil e Argentina

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A empresa aérea argentina Flybondi aumentará sua oferta de voos entre Brasil e Argentina para o próximo verão, com passagens a partir de R$ 299 o trecho. Há rotas ligando Buenos Aires a São Paulo (Guarulhos), Rio de Janeiro (Galeão) e Florianópolis.

Para o Rio, haverá três voos diários na alta temporada, de janeiro a março, somando 21 voos semanais. Atualmente, há 14. As passagens custam a partir de R$ 590 o trecho. Assim, ida e volta saem a partir de R$ 1.180

A rota para Floripa será retomada em dezembro e deve seguir ao menos até abril, com dois voos diários a partir de janeiro. Os bilhetes custam a partir de R$ 299 por trecho.

Para São Paulo, haverá um aumento de 6 para 7 viagens por semana, ou um por dia. Este voo, no entanto, parte às 3h15 da madrugada de Guarulhos e chega às 6h20 em Ezeiza. Em outras cidades, há voos espalhados ao longo do dia. O tíquete parte de R$ 364, por trecho, e tem preço médio de R$ 800.

Até domingo (27), há promoção de Black Friday. Ao usar o código AMARELO, há desconto de até 30% na compra.

As passagens internacionais incluem o direito de levar uma mochila e mala de mão, desde que ambas, juntas, não superem 10 kg de peso. A mala despachada de até 20 kg custa a partir de R$ 130 por trecho. A marcação de assento nos voos é cobrada à parte.

A Flybondi foi lançada em 2018, com a proposta de oferecer viagens mais baratas e replicar o modelo de baixo custo de empresas como a europeia Ryanair e a americana Spirit. Atualmente, tem 10 aviões na frota e planeja chegar a 17 até meados de 2023. A companhia domina cerca de 20% do mercado argentino e atende 19 destinos.

Além do Brasil, a empresa conecta Buenos Aires a mais de dez cidades na Argentina, como Bariloche, El Calafate e Mendoza. Turistas brasileiros também podem aproveitar promoções para estes destinos, mas é preciso fazer a compra separada, com um tíquete do Brasil a Buenos Aires e outro para circular dentro do país vizinho.

"Para o futuro, estamos analisando oferecer algum destino novo [no Brasil] e incrementar frequências. Se o mercado nos acompanhar, este é o objetivo", diz Javier Soto, gerente comercial da Flybondi.

Soto diz não haver problemas regulatórios ou de falta de espaço para ampliar as operações no Brasil. "Tivemos mais dificuldades em operar certos destinos na Argentina", compara.

Para oferecer passagens mais baratas, a companhia usa várias estratégias, como aumentar o número de poltronas nos aviões -o que reduz o espaço para as pernas- e trabalhar só com um modelo de aeronave, o Boeing 737-800.

As paradas também são mais breves, para que um mesmo avião possa fazer mais viagens por dia. "Em voos nacionais, ficamos cerca de 30 minutos no aeroporto entre os voos. E nossas aeronaves voam em torno de 12 horas por dia, enquanto outras ficam no ar entre 7 e 8 horas diárias", comenta Soto.

A Flybondi não tem lojas e concentra a venda pelo site, que possui uma versão brasileira. Ali, é possível comprar as passagens em reais.