Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.247,15
    -2.542,18 (-2,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.394,03
    -1.070,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,05
    -3,35 (-2,98%)
     
  • OURO

    1.814,60
    -4,30 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    29.033,84
    -1.130,40 (-3,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    649,06
    -21,62 (-3,22%)
     
  • S&P500

    3.923,68
    -165,17 (-4,04%)
     
  • DOW JONES

    31.490,07
    -1.164,52 (-3,57%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.644,28
    +41,76 (+0,20%)
     
  • NIKKEI

    26.911,20
    +251,45 (+0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.881,00
    -679,25 (-5,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2157
    +0,0053 (+0,10%)
     

Companhia aérea anuncia voo mais longo do mundo com 19h; veja o trajeto

Atualmente, o voo mais longo do mundo sem escalas  e comercial pertence à Singapore Airlines, que liga Singapura a Nova York em 19 horas de viagem (Getty Images)
Atualmente, o voo mais longo do mundo sem escalas e comercial pertence à Singapore Airlines, que liga Singapura a Nova York em 19 horas de viagem

(Getty Images)

  • Qantas, companhia aérea australiana, anuncia voo mais longo do mundo entre comerciais;

  • Passageiros irão de Sydney até cidades como Londres e NY em pouco mais de 19 horas;

  • Novidade deve ser implementada a partir de 2025 com destaque para conforto nas cabines.

A companhia aérea Qantas anunciou, nesta segunda-feira (2), os primeiros voos comerciais que transportarão, de forma direta e sem escalas, passageiros de Sydney (Austrália) até cidades como Londres (Inglaterra) e Nova York (EUA). Trata-se do voo mais longo do mundo, com cerca de 19 horas e 19 minutos de duração.

O tempo foi estimado após a empresa australiana realizar, em 2019, testes de Londres até Sydney, percorrendo uma distância de 17.750 quilômetros. No mesmo ano, um voo de Nova-York para Sydney demorou pouco mais de 19 horas ao longo de 16.200 quilômetros.

Segundo o CEO da Qantas, Alan Joyce, esta “é a última fronteira e a última solução para a tirania da distância”. Ele ainda comentou que os novos tipos de aviões encomendados “tornam possíveis novas coisas”.

Atualmente, a companhia aérea já opera uma conexão entre Perth, no sudoeste da Austrália, e Londres. O voo dura 17 horas e percorre 14.498. No entanto, o voo comercial mais longo do mundo sem escalas pertence, até então, à Singapore Airlines, que liga Singapura a Nova York em 19 horas de viagem. As informações são da Exame.

Como funciona a novidade

Para conectar Sydney a outras cidades, a Qantas encomendou 12 aviões Airbus A350-1000. A iniciativa faz parte do “Projeto Amanhecer” e deve ser implementada a partir do final de 2025.

"Como vocês podem imaginar, a cabine foi especialmente projetada para o máximo de conforto nos voos de longa distância", afirmou Joyce. Os aviões serão adaptados para transportar 238 passageiros, com uma primeira classe que inclui cama separada, assento reclinável e armário. Já a classe econômica deve ter mais espaço e área "para movimentar, alongar e hidratar".

De acordo com os catálogos de 2018, último ano em que a Airbus publicou os preços de seus aviões, o A350-1000 era vendido por US$ 366,5 milhões (R$ 1,8 bilhão). No entanto, a Qantas confirmou que obteve uma redução significativa no preço das aeronaves.

Além desses modelos, a companhia também pediu 40 aviões A321 XLR e A220 à Airbus, com a possibilidade de comprar 94 adicionais até o final de 2034. O destaque vai para a sustentabilidade.

“O novo avião reduziria as emissões de gases do efeito estufa em pelo menos 15% se funcionar com combustíveis fósseis, e um pouco mais se usar combustível de aviação mais duradouro”, disse o CEO da Qantas. "Os A320 e A220 serão a coluna vertebral de nossa frota nacional nos próximos 20 anos".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos