Mercado fechará em 4 h 7 min
  • BOVESPA

    110.447,23
    +1.553,91 (+1,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.175,63
    +396,76 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,98
    -0,36 (-0,79%)
     
  • OURO

    1.815,10
    +34,20 (+1,92%)
     
  • BTC-USD

    19.257,36
    -142,41 (-0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    378,65
    -1,21 (-0,32%)
     
  • S&P500

    3.664,18
    +42,55 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    29.983,34
    +344,70 (+1,16%)
     
  • FTSE

    6.385,08
    +118,89 (+1,90%)
     
  • HANG SENG

    26.567,68
    +226,19 (+0,86%)
     
  • NIKKEI

    26.787,54
    +353,92 (+1,34%)
     
  • NASDAQ

    12.376,50
    +99,50 (+0,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3132
    -0,0480 (-0,75%)
     

Como uma simples decisão da Apple pode causar um terremoto no mercado de tecnologia

Finanças Internacional
·4 minuto de leitura
Detalhes sobre o primeiro processador desenhado pela Apple para os Macs. Imagem: Divulgação / WWDC
Detalhes sobre o primeiro processador desenhado pela Apple para os Macs. Imagem: Divulgação / WWDC

A Apple está fazendo a Intel comer poeira. A criadora do iPhone anunciou que a colaboração com a gigante dos processadores está chegando ao fim. O comunicado foi feito virtualmente na segunda-feira, durante a Conferência Mundial de Desenvolvedores (WWDC) da Apple. A informação é de que os chips da Intel deixarão de ser usados na linha de computadores Mac nos próximos dois anos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Para substituir os processadores da Intel, a Apple começará a usar o seu próprio chip ARM, como faz há anos na linha de iPhones e iPads. Já faz tempo desde a última vez que a Apple tomou uma decisão tão importante, e essa transição poderá incentivar os usuários do iPhone a migrarem de um computador Windows para um Mac.

Leia também

Há anos a Apple vem dizendo que pretende manter as linhas Mac e iPhone separadas, mas ao divulgar a incorporação do ARM, a empresa está indicando que logo essa separação entre as duas plataformas não será mais tão definida.

"Este foi um evento percursor, pois acreditamos que anunciar a substituição do chip é o primeiro passo para o que ainda está por vir, conforme o campus em Cupertino toma as rédeas da arquitetura da empresa e a polinização cruzada entre software e hardware poderá se tornar onipresente no futuro próximo", escreveu Dan Ives, analista da Wedbush, em uma nota de pesquisa após a Conferência da Apple.

Mas, o que a mudança de chip significa para o software da Apple? Para falar a verdade, muita coisa. Atualmente, os desenvolvedores da Apple criam aplicativos para o Mac que são compatíveis com a arquitetura x86 do chip da Intel. Com a mudança para os processadores ARM, os desenvolvedores poderão criar aplicativos para a arquitetura ARM da Apple, facilitando a conversão dos aplicativos do iPhone e do iPad para o Mac.

Parece um detalhe pífio, mas é o que trará para a linha Mac a grande vantagem competitiva que a Apple já conquistou no segmento de smartphones e tablets: a enorme biblioteca de aplicativos.

A Apple também está proporcionando os meios necessários para os desenvolvedores adaptarem para os processadores ARM os aplicativos existentes que foram criados para os chips da Intel. Assim, os clientes terão acesso a ambos os tipos de aplicativos nos Macs que usarem processadores ARM. Considerando a demonstração que a Apple fez no palco virtual da WWDC, os aplicativos criados para o Intel x86 parecem funcionar conforme o esperado nos sistemas que usam o ARM da Apple.

Superando a Intel em sua especialidade

Recentemente, a Intel chegou a um impasse em termos de atualização de desempenho. A antiga teoria da Lei de Moore, segundo a qual a quantidade de transistores em um chip dobra a cada dois anos, já foi descartada há tempos.

A empresa continuou fabricando processadores que usavam a arquitetura de 14 nanômetros durante anos antes de fazer a transição para os processadores de 10 nanômetros. Os chips de 10 nm finalmente foram lançados nos MacBooks da Apple em 2020, cinco anos depois de a Intel ter prometido lançar esse tipo de processador.

Enquanto isso, a Apple começou a usar os seus próprios chips ARM em iPhones e iPads usando a arquitetura de 7 nm em seu processador A12, que foi lançado em 2019.

Ao usar os processadores ARM proprietários em seus computadores, a Apple poderá evitar quaisquer atrasos futuros causados pela Intel e praticamente controlará a capacidade dos seus Macs no nível da infraestrutura.

Porém, a Apple ainda precisa provar que os seus chips personalizados serão capazes de oferecer um nível de potência e desempenho que façam frente ou até mesmo superem os processadores da Intel. Se o evento de imprensa da Apple servir de indicação, a empresa está no caminho certo.

A Apple fez uma série de demonstrações durante a WWDC usando um Mac equipado com o processador A12z proprietário. Em uma demonstração, o Mac de teste utilizou aplicativos como Photoshop e Final Cut Pro com grande facilidade, lidando até com vídeos de 4K sem apresentar quaisquer contratempos.

Isso é um bom sinal para as metas de desempenho da Apple para os Macs. Se as máquinas com ARM se saírem bem melhor que os computadores Windows que usam Intel, isso solidificaria a Apple como a plataforma ideal para os profissionais que precisam de um sistema com muitos cavalos de potência.

Enquanto isso, a Apple já está colhendo frutos dessa nova aventura de trazer os recursos de chip para o próprio quintal, eliminando assim despesas com os processadores da Intel e possivelmente economizando milhões.

Se os novos sistemas da Apple cumprirem o que estão prometendo, a transição para os processadores ARM será a decisão mais inteligente que a gigante da tecnologia tomou nestes últimos anos.

Daniel Howley

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.