Mercado fechará em 2 h 51 min

Como um professor de SP reciclou um holograma para dar aulas em quarentena?

Wagner Wakka

Em meio à quarentena e longe da sala de aula, o professor Alberto Rodrigues dos Santos se esforçou para manter a atenção e proximidade com seus alunos. De dentro de casa, em Piraju, no interior de São Paulo, o docente criou um sistema simples em holograma acoplado ao smartphone que uma criança pode mesmo fazer sozinha em casa.

Em filmes de ficção científica, holograma pode ser uma palavra que remete a complexas ferramentas futurísticas. Contudo, o que Santos fez foi trabalhar com reflexos e efeitos tridimensionais.

A técnica usa somente um objeto de acetato transparente, colado no formato de uma secção de pirâmide invertida. A peça reflete a luz em quatro direções, o que gera o efeito de um holograma quando colocado sob a tela de um smartphone. Para criar a peça, ele usou embalagens de presente antigas e fita adesiva, com custo baixo de produção.

Em entrevista ao G1, o professor explica que criou 200 displays deste e enviou aos pais dos alunos (com o cuidado de higienizar com álcool antes). Depois, começou a preparar os vídeos das aulas, com as imagens replicadas quatro vezes em relação a um eixo central, conforma a imagem abaixo.

Imagem é replicada 4 vezes para criar efeito (Foto: Arquivo Pessoal)

Assim, quando a luz da tela refrata em todas as quatro faces do acetado, cria um efeito de holograma dentro da peça, dando a impressão de que o professor é um boneco tridimensional.

A ideia nasceu de um trabalho realizado com alunos há quatro anos. Nas aulas, o docente pediu que os estudantes pesquisassem sobre formas de comunicação, desde as mais simples, como cartas, até as complexas, como holografia. Agora, com o distanciamento social por conta da COVID-19, ele viu na ideia uma forma de se aproximar dos seus alunos.

Fonte: Canaltech