Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.392,26
    -92,37 (-0,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Como um ex-zelador se tornou bilionário na Coreia do Sul

O agora bilionário fundou um app de viagens
O agora bilionário fundou um app de viagens

(REUTERS /Hyunyoung Yi)

  • Sul-coreano Lee Su-jin deixou de ser zelador para se tornar bilionário;

  • Homem é o fundador da Yanolja, superaplicativo de viagens;

  • Parte da empresa foi comprada pelo SoftBank Vision Fund 2.

O sul-coreano Lee Su-jin viu sua vida se transformar depois que decidiu apostar na ideia de lançar a Yanolja, um superaplicativo de viagens. Com um patrimônio líquido estimado em US$ 2 bilhões (R$ 10,24 bi) pela Forbes, o homem de 44 anos deixou de ser zelador e passou a ostentar o título de bilionário.

Em seu primeiro relatório, divulgado na semana passada, o aplicativo registrou forte crescimento de vendas no primeiro trimestre, em meio à reabertura das indústrias de viagens e hotéis, graças ao arrefecimento da pandemia. No período, a receita aumentou 19%, para 100,5 bilhões de won (US$ 80 milhões). Já o lucro líquido teve uma ligeira queda, sendo de 8,8 bilhões de won (US$ 68 milhões).

Fundada em 2005, a Yanolja (que quer dizer ‘Ei, vamos jogar’, em coreano) ganha a maior parte de seu dinheiro cobrando de hotéis e empresas de viagens para anunciar em sua plataforma. Nos últimos anos, tem expandido sua atuação de hotéis para transportes e, mais recentemente, apostado em softwares de computação em nuvem que ajudam os estabelecimentos e empresas a digitalizarem processos e gerenciarem reservas. É ainda possível analisar e prever, por meio de big data, o comportamento do cliente. Tal investimento na nuvem deu certo: no primeiro trimestre, ele foi responsável por 20,5% das vendas totais do app.

Lee, o novo bilionário, é CEO e segundo maior acionista da empresa, com 16,54% de participação. Além dele, sua esposa e duas filhas possuem uma participação de 5,18%. O maior pedaço da Yanolja pertence ao SoftBank’s Vision Fund 2, que adquiriu 25,23% em julho do ano passado. O negócio foi fechado em US$ 1,7 bilhão (R$ 8,72), fazendo com que a empresa passasse a valer US$ 6,7 bilhões (R$ 34,38 bi).

Agora, o superaplicativo se prepara para abrir capital. Conforme divulgado pela Forbes, a mídia local informou em abril que, no terceiro semestre deste ano, a Yanolja planeja listar na Nasdaq.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos