Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.600,05
    +71,08 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,98
    -0,69 (-1,10%)
     
  • OURO

    1.792,70
    +14,30 (+0,80%)
     
  • BTC-USD

    56.116,00
    +81,07 (+0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.291,60
    +28,64 (+2,27%)
     
  • S&P500

    4.153,69
    +18,75 (+0,45%)
     
  • DOW JONES

    33.969,20
    +147,90 (+0,44%)
     
  • FTSE

    6.911,31
    +51,44 (+0,75%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.819,50
    +25,25 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7007
    -0,0018 (-0,03%)
     

Como o Spotify paga os músicos? Empresa resolveu explicar

Wagner Wakka
·2 minuto de leitura

O Spotify lançou uma nova página para descrever como a receita da empresa gera renda para artistas e compositores de músicas na plataforma. O novo espaço visa esclarecer qual o caminho do dinheiro no serviço de streaming.

A empresa nunca foi exatamente muito assertiva sobre quanto paga para um artista/banda por mil execuções, nem é desta vez que isso será feito. Primeiro, a gigante explica que não os paga diretamente, mas direciona a verba para quem tem o direito das canções: “Assim que a receita sai das mãos do Spotify, quanto os artistas e compositores são pagos, depende de seus próprios acordos com quem detém os direitos”. No caso, estamos falando de gravadoras, publicadoras e afins.

Segundo a empresa, mais de 13 mil artistas tiveram uma receita de US$ 50 mil em 2020, sendo que mais de 7 mil alcançaram faturamento do dobro disso. Pode parecer bastante, mas a pegadinha está na palavra “receita”.

Isso significa o total que um artista ou compositor recebeu, mas sem descontar seus gastos. A estimativa é de que ele fique com apenas 20% desse valor, depois de compartilhar com gravadoras, pagar músicos e outras dívidas. Ou seja, os 13 mil artistas teriam receita de aproximadamente US$ 10 mil por ano, o que não oferece US$ 1 mil ao mês com a plataforma.

Em 2020, segundo a companhia, foram pagos US$ 5 bilhões em royalties de direitos autorais, no esquema descrito aqui. Número que cresceu de US$ 3,3 bilhões desde 2017 (a empresa não oferece dados de 2018 nem 2019).

Segundo o site, somente 870 artistas tiveram receita maior que US$ 1 milhão no ano, enquanto 1.820 receberam na casa dos US$ 500 mil. O gráfico abaixo mostra o número absoluto de artistas de acordo com a receita anual em dólares:

<em>Arte: Wagner Wakka/Canaltech com dados do Spotify</em>
Arte: Wagner Wakka/Canaltech com dados do Spotify

Ainda de acordo com o Spotify, 4,6 milhões de artistas tiveram ao menos uma música reproduzida. Ou seja, estamos falando aqui do número total de artistas da plataforma.

Isso permite dizer que 89% não têm receita sequer de US$ 1 mil ao ano. Novamente, ênfase para o fato de que estamos trabalhando aqui com dados em faturamento e não lucro.

Os dados completos estão no site do Spotify.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: