Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,50
    -2,03 (-3,20%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    43.505,60
    -3.483,46 (-7,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,99 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,29 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7495
    +0,0106 (+0,16%)
     

Como limpar uma agenda contaminada no iOS

Felipe Demartini
·3 minuto de leitura

A agenda do iOS é um dos recursos padronizados mais utilizados de iPhones e iPads. Como tais, também se tornaram uma arma para hackers que tentam infectar celulares e roubar dados dos usuários, bem como praticar golpes a partir de tentativas de phishing, que nestes casos, aparecem como notificações diretamente para o usuário e possuem um formato que tenta se passar como um alerta legítimo do sistema operacional.

Basta um clique em um anúncio malicioso para que entradas desse tipo sejam adicionadas ao calendário, com múltiplos registros sendo adicionados dia a dia de forma a levar os usuários ao clique. É nele, inclusive, que está escondido o verdadeiro malware, com as possíveis vítimas sendo levadas a sites maliciosos disfarçados de ferramentas para verificação de segurança ou limpeza dos aparelhos, mas que na verdade tentam roubar dados ou instalar malwares.

<em>Entradas maliciosas no calendário do iOS tentam notificar usuários e levam a clique em sites fraudulentos, que podem roubar dados ou instalar malwares no iPhone (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Entradas maliciosas no calendário do iOS tentam notificar usuários e levam a clique em sites fraudulentos, que podem roubar dados ou instalar malwares no iPhone (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

A recomendação, como em todo tipo de atividade suspeita, é jamais clicar nos links indicados, tanto os disponíveis na agenda quanto aqueles disponíveis em sites ou serviços que possam levar a uma contaminação desse tipo no calendário. Caso você já esteja enfrentando o problema, porém, alguns passos simples podem garantir a limpeza sem que você seja colocado em risco.

Como limpar uma agenda contaminada no iPhone

Passo 1: acesse o aplicativo de Calendário e, na parte inferior da tela, clique em “Calendários”;

<em>Lista de calendários do iOS pode servir como isca para ataques, mas detecção de eventuais tentativas maliciosas também é simples (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Lista de calendários do iOS pode servir como isca para ataques, mas detecção de eventuais tentativas maliciosas também é simples (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Passo 2: cheque a lista em busca de entradas suspeitas ou listas de eventos que não tenham sido assinadas de forma consensual. Caso localize algo de estranho, clique no ícone com a letra “i”, à direita da entrada, e escolha a opção “Apagar Calendário”, confirmando na sequência. Isso fará com que as entradas maliciosas sejam removidas;

<em>Bastam alguns cliques para remover uma agenda contaminada do iPhone e deixar de receber notificações que levam para sites suspeitos (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Bastam alguns cliques para remover uma agenda contaminada do iPhone e deixar de receber notificações que levam para sites suspeitos (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Passo 3: vale a pena checar também a opção “Calendário” no menu “Ajustes”. Clique em “Contas”, onde possíveis perfis maliciosos podem ter sido criados;

<em>Perfis maliciosos, com dados e calendários específicos voltados à contaminação dos aparelhos, também podem ser criados a partir do acesso a sites suspeitos (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Perfis maliciosos, com dados e calendários específicos voltados à contaminação dos aparelhos, também podem ser criados a partir do acesso a sites suspeitos (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Passo 4: cheque se as contas cadastradas pertencem ao próprio usuário ou foram adicionadas por ele de forma consensual. Caso contrário, clique no perfil malicioso e selecione “Apagar Conta”.

<em>Apagar as contas suspeitas resolve o problema das notificações e links maliciosos no calendário, mas é importante ficar atento a outras práticas de segurança para garantir que tudo esteja bem com o aparelho (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Apagar as contas suspeitas resolve o problema das notificações e links maliciosos no calendário, mas é importante ficar atento a outras práticas de segurança para garantir que tudo esteja bem com o aparelho (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

A infecção inicial, que insere entradas fraudulentas no calendário, não representa um risco de segurança por si só. Entretanto, vale a pena fazer uma varredura no celular no caso do registro de contas sem a anuência do usuário, utilizando softwares de proteção e, caso necessário, resetar o celular para os ajustes de fábrica caso contaminações adicionais sejam detectadas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: