Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.308,70
    +1.202,85 (+3,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Como investir em fundos imobiliários em três passos

Felipe Blumen
·3 minuto de leitura
Como investir em fundos imobiliários em três passos
Os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) são formados por grupos que se unem para aplicar recursos em diversos tipos de investimentos imobiliários.

Quando se busca o melhor tipo de investimento, os fundos imobiliários aparecem como boa opção - sobretudo para quem sonha em viver de renda. A modalidade é frequentemente escolhida para diversificar carteiras de investimento de forma segura, então está na hora de entendê-la melhor.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O que são e como funcionam fundos imobiliários

Os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) são formados por grupos que se unem para aplicar recursos em diversos tipos de investimentos imobiliários. São investidores que apostam em empreendimentos ainda em desenvolvimento ou em imóveis já prontos, como edifícios comerciais, shopping centers e hospitais. Assim, o objetivo de um FII é conseguir retorno pela exploração de locação, arrendamento ou venda do imóvel.

O funcionamento é parecido com o de outros fundos de investimento (linkar: “Como investir em fundos de investimento? Tire suas dúvidas”). As construtoras, na hora de levantar um projeto, financiam suas obras como uma gestora, dividindo partes do imóvel em cotas do FII. Cada dono de uma cota recebe um valor proporcional dos aluguéis, que é o rendimento do FII. E, caso venda a cota por um valor maior do que comprou, o investidor também pode sair ganhando.

Leia também

Investir em um FII X comprar um imóvel

Segundo diferentes especialistas, os FIIs possuem maior liquidez do que imóveis. A justificativa é que vender cotas pode ser mais fácil do que vender um apartamento. Além disso, a rentabilidade também é considerada maior do que a de imóveis físicos e a questão tributária pesa muito: sobre os rendimentos provenientes de imóveis físicos há a incidência do Imposto de Renda, mas não nos dividendos recebidos por meio dos fundos imobiliários.

Por outro lado, alguns fundos são pouco negociados depois de lançados, então quem precisar do dinheiro com urgência pode ter dificuldade em vender suas cotas. E também não se pode comprar um imóvel específico, já que é a gestora que decide onde aplicar os recursos do FII. Os demais riscos são os mesmos: do imóvel estar vacante por muito tempo, do inquilino ser inadimplente, etc.

Como investir em FIIs

O processo de investir em fundos imobiliários é semelhante ao de apostar em outros fundos. Os seguintes passos ajudam a começar:

  1. As cotas dos fundos são negociadas na Bolsa de Valores. Então é preciso se cadastrar em uma corretora para conseguir adquiri-las. Veja se sua corretora de confiança (linkar: “Qual a melhor corretora de investimentos? Saiba como escolher) tem investimentos em FIIs ou procure uma que tenha.

  2. Analise os dados do fundo antes de escolher, principalmente os imóveis que fazem parte da carteira e o histórico de rentabilidade - o valor dos aluguéis dividido pelo valor das cotas do fundo. O investimento é considerado bom sempre que o retorno proporcionado for mais vantajoso do que poupança ou outros investimentos em renda fixa.

  3. Uma vez escolhido, você consegue comprar pelo próprio home broker, a plataforma de compra e venda de ações, da corretora. Você diz o fundo desejado e informa a quantidade de cotas desejada e o preço que quer pagar por elas. Se houver alguém interessado em vender as quotas nessas condições, a transação é fechada.