Mercado fechará em 1 h 8 min

Debêntures: o que são (e como investir nelas)

Conheça tudo sobre os debêntures (Getty Images)

O procedimento de investimento em debêntures é bem simples. Primeiramente, é preciso abrir uma conta em uma corretora de valores e fazer uma aplicação em dinheiro. Em seguida, escolher o (ou os) título de debêntures que mais combina com seus objetivos e seu perfil de investidor. Para isso, vale a pena ter a orientação da corretora ou saber bem seu perfil e intenção ao investir.

Leia também

Debêntures são papéis de empresas

As debêntures são aplicações em que o investidor faz um empréstimo para uma empresa. É bem parecido com a dinâmica dos títulos públicos do Tesouro Direto. Mas, em vez de emprestar dinheiro para o governo, é para uma empresa privada – que não seja uma instituição financeira, nem de crédito imobiliário. Em troca, o investidor recebe juros sobre o valor que foi aplicado.

O investimento em debêntures é considerado de médio a longo prazo, durando no mínimo 2 anos. Por isso, antes de comprar um desses títulos, é necessário saber que o dinheiro ficará fora de suas mãos por um bom tempo.

Os riscos de se aplicar em debêntures

Como todo investimento, as debêntures também têm seus riscos, apesar de serem consideradas aplicações de renda fixa, pois podem ter características um tanto variáveis.

Elas têm risco de crédito, já que é um tipo de investimento que não tem garantia no FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Então, se a empresa entrar em falência, o investidor corre riscos de não receber. Além do risco de fluxo de caixa, pois há a possibilidade de a empresa não possuir um fluxo de caixa positivo e suficiente para arcar com o pagamento dos juros.

Assim, o investidor pode não conseguir receber todo o dinheiro que é devido no dia combinado. Há também o risco de mercado, com as oscilações das taxas de juros e da inflação, que podem tornar um título mais atrativo e em outros momentos não, dependendo das variações do mercado.