Mercado fechará em 4 h 53 min
  • BOVESPA

    108.399,23
    -1.946,59 (-1,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.024,33
    -352,56 (-0,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,49
    +0,20 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.863,80
    +16,00 (+0,87%)
     
  • BTC-USD

    29.050,59
    -1.300,96 (-4,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    647,04
    -8,78 (-1,34%)
     
  • S&P500

    3.885,60
    -88,15 (-2,22%)
     
  • DOW JONES

    31.460,01
    -420,23 (-1,32%)
     
  • FTSE

    7.482,65
    -30,79 (-0,41%)
     
  • HANG SENG

    20.112,10
    -357,96 (-1,75%)
     
  • NIKKEI

    26.748,14
    -253,38 (-0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.603,50
    -431,75 (-3,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1914
    +0,0437 (+0,85%)
     

Como funciona um sensor de ré e estacionamento?

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A tecnologia, na maioria das vezes, está presente para nos ajudar no dia a dia e no mercado automotivo isso não é diferente. Recursos importantes foram aparecendo nos carros ao longo dos anos e tornaram nossa vida muito mais fácil em diferentes situações. Um deles, e talvez aquele dos mais simples, é o sensor de estacionamento.

Antes localizado somente nas traseiras dos carros e SUVs, agora é bem comum os modelos virem com esses sensores instalados de fábrica na dianteira e, em alguns casos, com o equipamento por todo o carro, criando um "campo de força" virtual de 360º.

Mas você já se perguntou como funcionam os sensores de estacionamento?

O cluster digital do novo Jeep Renegade 2022 avisa com imagens se há a proximidade com carros ou paredes (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
O cluster digital do novo Jeep Renegade 2022 avisa com imagens se há a proximidade com carros ou paredes (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Como funcionam os sensores de ré e estacionamento?

O sensor de estacionamento serve basicamente para verificar se há obstáculos próximos ao veículo e impedir pequenas colisões. Para isso, ele faz uso de uma tecnologia bem conhecida: o ultrassom. Ao ativar o que chamamos de Park Assist, ele envia as ondas sonoras e mede a distância entre o carro e objeto.

O sistema de estacionamento emite uma frequência sonora inaudível ao ouvido humano quando engatamos a marcha a ré. A distância é calculada por meio do tempo de retorno do sinal do obstáculo ao sensor. No carro, quanto mais próximo de uma colisão, mais rápido o aviso dentro da cabine é emitido, alertando o motorista.

Sensores de estacionamento alocados no pára-choque traseiro do Chevrolet Equinox (Imagem: Divulgação/General Motors)
Sensores de estacionamento alocados no pára-choque traseiro do Chevrolet Equinox (Imagem: Divulgação/General Motors)

Há carros como a RAM 1500 que impedem a colisão por completo quando o sensor de estacionamento chega ao limite. Há modelos, entretanto, que somente avisam a proximidade e mostram por meio de gráficos se há algo no caminho.

Seu carro tem sensor de ré e estacionamento? Se não tiver, saiba que é possível encontrar no mercado de peças por preços dos mais variados, a depender do nível do equipamento. Mas, atualmente, a maioria das montadoras oferece o recurso de série no carro.

E aí, sua vida melhorou depois da invenção do sensor de estacionamento? Conte para nós!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos