Mercado fechará em 6 h 29 min
  • BOVESPA

    109.509,44
    +1.021,55 (+0,94%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,91
    -0,37 (-0,34%)
     
  • OURO

    1.852,50
    +10,40 (+0,56%)
     
  • BTC-USD

    30.405,39
    +327,02 (+1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    682,24
    +7,36 (+1,09%)
     
  • S&P500

    3.934,86
    +33,50 (+0,86%)
     
  • DOW JONES

    31.556,28
    +294,38 (+0,94%)
     
  • FTSE

    7.479,06
    +89,08 (+1,21%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    11.914,25
    +73,50 (+0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1166
    -0,0362 (-0,70%)
     

Como ficam os carros híbridos quando os a combustão forem proibidos?

·4 min de leitura

Os carros elétricos estão chegando com tudo, e tendem a se tornar cada vez mais comuns quando a proibição da venda e da circulação de veículos a combustão entrar em vigor mundo afora. Um ponto que não vem sendo muito abordado quando o assunto vem à tona, no entanto, é o que acontecerá com os carros híbridos.

Afinal de contas, veículos híbridos, como o Toyota Prius, a recém-lançada BMW X3, ou o Sentra e-Power, combinam motores a gasolina com elétricos em sua construção. E, por conta da tecnologia mais avançada, custam significativamente mais do que os carros convencionais. Por que, então, alguém se sentiria tentado a gastar uma fortuna para comprar um carro com essa tecnologia, se ela também tem “data de validade”?

Foi isso o que a reportagem do Canaltech perguntou para os representantes das três marcas citadas nesta reportagem. Por meio de um porta-voz, a BMW alertou que o Projeto de Lei que prevê a proibição da circulação de veículos a combustão (incluindo os híbridos) a partir de 2040 ainda não foi sancionado. E lembrou que há outros pontos a serem discutidos.

“Mundialmente, o BMW Group segue a desenvolver novos e mais eficientes modelos de motor a combustão, seguindo o desejo dos clientes e legislações, além da própria estratégia da empresa. Os veículos são cada vez mais eficientes, e no lugar de discutir propulsão, há muitos outros detalhes de eficiência energética e sustentabilidade na cadeia produtiva”.

A marca assegurou, no entanto, que tem estratégias na manga para colocar em prática, caso os veículos que misturem motores a combustão, movidos a diesel ou gasolina, sejam mesmo proibidos, mesmo funcionando em conjunto com propulsores elétricos. O uso de etanol pode ser uma saída para manter os híbridos “vivos” nas ruas. “Desenvolvemos alternativas, como o BMW X5 movido a hidrogênio, ou até mesmo os motores Flex no Brasil”.

Foco “100% elétrico”

Nissan e-Power pode dar as caras no Brasil (Imagem: Divulgação/Nissan)
Nissan e-Power pode dar as caras no Brasil (Imagem: Divulgação/Nissan)

A Nissan foi outra empresa que respondeu ao pedido de um posicionamento oficial do Canaltech, pois pode mandar ao mercado brasileiro, em um futuro próximo, tanto o Sentra e-Power quanto o Kicks. Ambos seriam movidos pela junção do motor a gasolina HR12DE, de 1,2 litros, com o elétrico de 100 kW (136 cavalos) e 30,5 kgfm de torque.

A marca japonesa assegurou que a função do motor a combustão nos modelos híbridos seria mínima, apenas para alimentar o elétrico, mas que o foco da Nissan no futuro é abandonar completamente essa junção de propulsores e ter foco 100% elétrico. “A Nissan tem um enfoque diferente nesse tema. Se houver algum híbrido, o motor a combustão será apenas para alimentar o motor elétrico. Não funcionará mais como uma parte a combustão e uma parte elétrico”.

De acordo com a montadora, há diferenças bem claras entre os três tipos de motor: o híbrido convencional (que pode ser proibido de rodar no Brasil a partir de 2040, junto com o a combustão), o 100% elétrico e o e-Power, atual aposta da marca.

Assim funcionam os tipos de motor (Imagem: Divulgação/Nissan)
Assim funcionam os tipos de motor (Imagem: Divulgação/Nissan)

“O sistema e-Power oferece acionamento totalmente por motor elétrico, o que significa que as rodas são totalmente acionadas por motor elétrico. O e-Power é composto por uma bateria de alta potência e o trem de força integrado com motor a gasolina, gerador de energia, inversor e motor. Em sistemas híbridos convencionais, as rodas são movidas por um motor elétrico e um motor a gasolina. Porém, no sistema e-Power, o motor a gasolina não é conectado às rodas; simplesmente carrega a bateria. E, ao contrário de um EV (veículo elétrico) completo, a fonte de alimentação é o motor, e não apenas a bateria”.

O caminho da Toyota

Toyota já abordou o assunto (Imagem: Reprodução/Best Cars)
Toyota já abordou o assunto (Imagem: Reprodução/Best Cars)

A Toyota também foi procurada para comentar sobre o que pensa a respeito do futuro de seus carros híbridos, mas não se posicionou até o fechamento desta matéria. Em julho deste ano, no entanto, Masahiro Inoue, presidente da Toyota para a América Latina e Caribe, deu a dica de qual caminho a empresa pretende seguir para não se prejudicada com as mudanças na legislação.

Inoue revelou que a Toyota seguirá investindo em soluções de motorização elétrica e híbrida, mas que não vê o Brasil como um polo de carros elétricos. Segundo ele, o etanol é zero emissão de carbono e, por isso, faz mais sentido apostar nos híbridos flex a partir de agora.

Uma outra solução que vem sendo pensada pela Toyota, e que em breve pode aparecer nas ruas, é equipar os novos carros com um motor a combustão que queime hidrogênio. A ideia da montadora, segundo a imprensa local, é que o motor de combustão a hidrogênio seja adotado em modelos como o Prius PHEV quando for possível andar “de mãos dadas” com a infraestrutura necessária para o reabastecimento desse tipo de carro. A previsão é que isso ocorra já a partir de 2025, bem antes da proibição entrar em vigor no Brasil e em outros países.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos