Mercado fechará em 1 h 40 min
  • BOVESPA

    109.216,53
    +114,54 (+0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.667,38
    -840,97 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,77
    -0,78 (-0,91%)
     
  • OURO

    1.833,50
    -9,10 (-0,49%)
     
  • BTC-USD

    38.517,59
    -4.704,71 (-10,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    905,56
    +662,88 (+273,15%)
     
  • S&P500

    4.446,18
    -36,55 (-0,82%)
     
  • DOW JONES

    34.571,55
    -143,84 (-0,41%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.687,25
    -153,75 (-1,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1540
    +0,0239 (+0,39%)
     

Como empresas e empregados podem evitar uma crise de burnout

·2 min de leitura
Tired frustrated exhausted businessman working from home online sitting at home office with laptop during quarantine and self isolation period at pandemic. Crisis management. Despair of market falling down.
Empresas e funcionários se preocupam com Síndrome de Burnout causada na pandemia.
  • Autora de livro explica formas de se evitar Síndrome de Burnout;

  • Jennifer Moss explica como empresas podem colaborar para que empregados não sofram;

  • Autora fala sobre evitar cultura de excesso de trabalho;

A Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional é um disturbio emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico resultante de situações de trabalho desgastante, que demandam muita competitividade ou responsabilidade em meio ao excesso de trabalho, sendo comum em profissionais que atuam diariamente sob pressão e com responsabilidades constantes. 

Leia também:

Por conta disso, empresas estão procurando formas de superá-la. Em entrevista à agência Reuters, Jennifer Moss, autora do livro "A epidemia de burnout: o aumento do estresse crônico e como podemos consertá-la”, ainda sem lançamento no Brasil, as empresas devem "se olhar bem no espelho" para colocar freios em fomentar culturas de excesso de trabalho que tornem as coisas piores. 

Jennifer Moss cita principais causas de burnout nas empresas

Em entrevista à Reuters, Jennifer Moss declarou que apenas 2% das pessoas classificaram seu bem-estar como excelente e 89% disseram que sua vida profissional estava piorando. Esperávamos que as pessoas ficassem exaustos, trabalhando mais horas no dia e perdendo eficácia, e que em meio a tudo isso, as pessoas estão começando a sentir que não têm nenhum controle sobre os resultados.

A autora citou que há seis causas básicas de burnout: Carga de trabalho insustentável, falta de controle percebida, recompensas insuficientes pelo esforço, falta de uma comunidade de apoio, falta de justiça e valores e habilidades incompatíveis. A também palestrante e especialista em bem-estar no mercado de trabalho deu possíveis soluções para empregadores e empregados em entrevista à agência.

De acordo com Moss, "eles precisam examinar as causas básicas da carga de trabalho. Dar às pessoas um dia de folga é bom, mas você também precisa reduzir suas expectativas de produtividade", citou. Ela ainda concluiu: "se você tem uma cultura de excesso de trabalho, isso não está tornando as pessoas mais eficazes, está deixando-as doentes", completou.

Já para os funcionários, Moss citou maneiras de lidar com a pressão, entre elas, começar a pensar em recuar, como fazer pausas a cada duas horas, desintoxicar digitalmente, sair de casa, colocar música no ambiente, além de estabelecer limites para responder e-mails e gerenciar as expectativas de seus clientes, para que nem sempre tudo pareça tão urgente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos