Mercado fechará em 4 h 7 min
  • BOVESPA

    108.211,47
    -164,88 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.298,09
    +291,98 (+0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,83
    +2,33 (+2,97%)
     
  • OURO

    1.662,20
    +26,00 (+1,59%)
     
  • BTC-USD

    19.423,90
    -679,33 (-3,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,20
    +14,42 (+3,36%)
     
  • S&P500

    3.691,08
    +43,79 (+1,20%)
     
  • DOW JONES

    29.448,89
    +313,90 (+1,08%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.409,00
    +75,25 (+0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1943
    +0,0344 (+0,67%)
     

Como carregar um carro elétrico?

·4 min de leitura

Você já viu no Canaltech quanto custa carregar um carro elétrico, como calcular o consumo médio de um veículo movido com essa propulsão, e uma série de outras matérias a respeito do tema. Mas você sabe como carregar um carro elétrico? Não? Então vamos te ensinar.

Antes de mais nada, é fundamental explicar que há duas opções para quem deseja ser proprietário de um carro elétrico, e abordaremos ambas neste conteúdo: como carregar em casa e como carregar em pontos comerciais.

Vamos lá?

Como carregar um carro elétrico em casa?

Há três maneiras distintas de carregar um carro elétrico em casa. Caso você esteja se perguntando, em tom jocoso, se é possível chegar de um passeio e, simplesmente, plugar o carro em uma tomada comum, a resposta é “sim”.

O mais aconselhável neste caso é que a tomada utilizada para receber o carregador portátil seja de 220V e, principalmente, aterrada, para que não haja risco de incêndio ou de sobrecarga na rede elétrica da residência.

Carregar um carro elétrico em casa pode ser feito por meio de um Wall Box (Imagem: DC Bell/Unsplash/CC)
Carregar um carro elétrico em casa pode ser feito por meio de um Wall Box (Imagem: DC Bell/Unsplash/CC)

O tempo total de carregamento na tomada comum é bastante longo, e pode chegar até a 20 horas, dependendo do modelo do carro. Por conta disso, este modo de recarga também é chamado de “carregamento emergencial”, ou seja, um recurso que só deve ser utilizado em casos extremos.

Para quem estiver disposto a investir uma graninha extra em infraestrutura, a opção, também caseira, é a instalação dos carregadores de parede ou, se preferir, o famoso Wall Box. Ele é oferecido por algumas montadoras como brinde, mas, normalmente, é pago, e custa em torno de R$ 7 mil.

O carregador, como o próprio nome diz, é instalado em uma parede, com potências que variam entre 3,7 kW e 22 kW (a mais comum é de 7,4 kW). Este tipo de carregamento utiliza corrente alternada (CA) e pode levar uma bateria do 0 aos 100% entre 2 e 12 horas.

Em entrevista para o site NSC Total, Matheus Dressler Maia, Coordenador de Eletrificação na WeCharge, resumiu bem o que o consumidor tem em mãos ao optar pelos carregadores do tipo Wall Box.

“No residencial, o perfil de recarga é o mesmo de quem coloca o celular antes de dormir para utilizá-lo no dia seguinte. Com o veículo conectado na rede entre 8h e 12h, a energia acumulada na bateria será suficiente para rodar o dia seguinte, sem necessidade de uma carga rápida”.

Alguns shoppings contam com estações para carregar carros elétricos (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Alguns shoppings contam com estações para carregar carros elétricos (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Como carregar um carro elétrico fora de casa?

Há opções também de carregadores que não são domiciliares. No Brasil, eles ainda não são tão comuns, mas, de acordo com levantamento divulgado pela Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), em setembro de 2021, o número vem crescendo.

O relatório mais recente do órgão apontou que em apenas quatro meses o total de eletropostos públicos e semipúblicos no Brasil cresceu aproximadamente 50%, saltando de cerca de 500 para 754.

De acordo com Davi Bertoncello, diretor de Infraestrutura da ABVE e CEO da Tupinambá, este aumento mostra que a oferta de eletropostos tem evoluído em sintonia com o crescimento do mercado brasileiro de eletromobilidade.

O órgão informou que este tipo de carregador, encontrado em shoppings, supermercados e em alguns postos de serviços nas rodovias, tem, em sua maioria, 7,4 kW de potência, como os residenciais.

No entanto, a ABVE informou que, recentemente, tem crescido o número de estações de 11 kW e 22 kW, por causa do emplacamento de mais veículos que operam essas cargas em corrente alternada.

Há ainda o surgimento de estações de carregamento ultrarrápido, que fazem parte do projeto Plug&GO, da EDP. O primeiro, em Caraguatatuba, Litoral Norte de São Paulo, foi inaugurado em abril de 2021, e conta com recargas de até 150 kW.

Vale lembrar que, por conta da regulamentação, nenhuma das estações de carregamento públicas está autorizada a cobrar qualquer tipo de taxa dos clientes pelo uso dos equipamentos. O que pode ocorrer é a cobrança do estacionamento, nos casos em que o shopping ou o mercado não ofereçam vagas gratuitas no local.

Com informações: NSC Total, ABVE e AutoEsporte

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: