Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.497,32
    -138,74 (-0,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Comitê estuda criar indicadores para flexibilizar uso de máscaras em SP

·2 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.09.2021 - Still de mão segurando uma máscara facial, para prevenção à Covid-19. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.09.2021 - Still de mão segurando uma máscara facial, para prevenção à Covid-19. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O comitê científico do governo de São Paulo estuda estabelecer indicadores para ajudar as autoridades a decidirem se flexibilizam ou não o uso de máscaras no estado durante a pandemia de Covid-19.

A cobertura vacinal da população, o nível de transmissão do vírus e o número de novos casos e de internações são alguns dos parâmetros que devem ser utilizados, disse o coordenador-executivo do órgão, João Gabbardo.

O grupo irá propor à administração estadual que leve em conta esse conjunto de critérios na hora de debater o fim do uso obrigatório de máscaras em São Paulo.

O anúncio foi feito durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, nesta quarta-feira (20).

Gabbardo afirmou que os indicadores não determinarão uma data para o fim da obrigatoriedade, mas irão apontar um momento ideal para que o uso não seja exigido em algumas situações, começando por ambientes externos sem aglomeração.

O coordenador disse também que ainda não é o momento para a flexibilização, apesar dos indicadores já apresentarem números positivos.

"Nós vamos continuar mantendo essa segurança, o avanço gradativo, para que nós não tenhamos que repetir aquilo que alguns países fizeram, flexibilizaram precocemente e tiveram que retroceder", disse.

Mesmo após a pandemia, o comitê científico pretende manter a obrigatoriedade do uso de máscaras em alguns contextos, como ambientes hospitalares.

Na mesma ocasião, o governador João Doria (PSDB) anunciou o Corujão da Saúde que terá como foco tratamentos de oftalmologia. O objetivo é zerar a fila da especialidade nos AMEs (Ambulatórios Médicos Especiais).

Serão oferecidas 11,7 mil consultas médicas e 23,1 mil exames, entre eles mapeamento de retina e ultrassonografia de globo ocular. O corujão também deve viabilizar cerca de 16 mil cirurgias, incluindo de catarata e de retina.

Os atendimentos serão feitos em 46 AMEs e dez hospitais estaduais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos