Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.433,14
    +1.327,29 (+3,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Comitê de emergência da OMS antecipa reunião sobre variantes da covid-19

·1 minuto de leitura
Técnica de laboratório manipula amostras de testes para a covid-19 no Instituto Pasteur de Túnis, Tunísia, 13 de janeiro de 2021

O comitê de emergência da Organização Mundial da Saúde (OMS) se reunirá na quinta-feira, com duas semanas de antecipação, para tratar das variantes do novo coronavírus, muito mais contagiosas, e que preocupam autoridades de todo o mundo.

O comitê costuma se reunir a cada três meses, mas "desta vez, o diretor-geral convidou os membros duas semanas antes do previsto para estudar os temas que requerem um debate urgente. Trata-se das recentes variantes e do uso de certificados de vacinação e teste para viagens internacionais", explicou a OMS em um comunicado publicado na noite desta quarta-feira (13).

O comitê de especialistas se reunirá em 14 de janeiro e após o encontro serão publicadas as recomendações da OMS, acrescentou o texto.

Foi este comitê que, durante sua segunda reunião, em 30 de janeiro de 2020, aconselhou o diretor-geral da organização sanitária da ONU, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a declarar a emergência de saúde pública de alcance internacional (o alerta máximo no tema das epidemias), o que o diretor da OMS acatou.

Segundo a OMS, a variante detectada inicialmente no Reino Unido já está em 50 países e territórios, enquanto a sul-africana foi identificada em 20, embora esta estimativa possa estar subestimada.

Uma terceira mutação, originária da Amazônia brasileira e que o Japão anunciou ter descoberto no domingo, está sendo analisada e poderia ter um impacto na resposta imunológica, segundo a OMS, que a considerou uma  "variante preocupante".

vog/fjb/jvb/gma/mvv