Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    36.057,92
    -1.381,49 (-3,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Comida tecnológica: Salmão geneticamente modificado é liberado para consumo humano nos EUA

·1 minuto de leitura
Comida tecnológica: Salmão geneticamente modificado é liberado para consumo humano nos EUA
Comida tecnológica: Salmão geneticamente modificado é liberado para consumo humano nos EUA

O salmão geneticamente modificado vai estrear no prato dos norte-americanos. Esse peixe é o primeiro animal alterado a ser liberado para consumo humano nos Estados Unidos. A primeira safra começou esta semana, depois de atrasos por causa da pandemia da Covid-19.

O salmão foi projetado pela empresa de biotecnologia AquaBounty Technologies Inc. Quem vai preparar o alimento são restaurantes e outros serviços de entrega de refeições, justamente estabelecimentos que não precisam rotular a comida como geneticamente modificada.

Os peixes foram criados em uma fazenda em Albany, no estado de Indiana. Eles crescem duas vezes mais rápido que o salmão selvagem e chegam ao tamanho de venda no mercado, entre 3,6 e 5,4 quilos em um ano e meio.

A AquaBounty garante que o peixe geneticamente modificado é livre de doenças e antibióticos, além de ter pegada de carbono reduzida e sem risco de poluir ecossistemas marinhos.

Por outro lado, defensores ambientais criticam essa produção, destacando preocupações com o meio ambiente e impactos nas comunidades indígenas que pescam o animal selvagem, em prática sustentável.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!