Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.027,41
    +116,19 (+0,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Comerciantes de MT fecham lojas em apoio a atos antidemocráticos

CUIABÁ, MT (FOLHAPRESS) - Em apoio aos manifestantes bolsonaristas que interditam rodovias, alguns comerciantes da região norte de Mato Grosso decidiram fechar seus estabelecimentos a partir desta terça-feira (22), até domingo (27). Os bloqueios antidemocráticos protestam contra a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL) nas eleições.

O movimento ocorre nos municípios de Sinop, Sorriso e Lucas do Rio Verde. A decisão ocorreu após reunião de lojistas e comerciantes na segunda-feira.

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Sinop emitiu um comunicado dizendo que a decisão foi tomada pelos empresários, e que a entidade não teria poder legal e estatutário para promover o fechamento das empresas.

"A CDL Sinop preza pelo bem estar dos seus associados, reforçando que cada um tem o seu direito de se expressar livremente", diz trecho do comunicado.

A CDL de Sorriso também confirmou a convocação, mas reforçou que não tem envolvimento na decisão tomada na reunião dos empresários.

Entre as imagens divulgadas pelo movimento, estão várias lojas fechadas em Sinop, com placas com as palavras "luto pela democracia". Uma comerciante, que pede para não ser identificada, afirma que parte das lojas da região central da cidade já não estava funcionando.

Segundo a lojista, alguns colegas já fecharam as portas, e outros pretendem fazê-lo a partir desta quarta.

No município de Sorriso, os comerciantes emitiram uma carta aberta convocando para uma manifestação na cidade em apoio aos atos bolsonaristas.

O fechamento de lojas e comércios vem ocorrendo de maneira isolada desde o dia 30 de outubro, após o anúncio da vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Boatos de que indústrias iriam promover um locaute circularam nas redes sociais na semana passada. Até o momento, o movimento não se confirmou.

Segundo a Fiemt (Federação das Indústrias de Mato Grosso), não há informações sobre paralisação de atividades de indústrias no estado em protesto contra o resultado das eleições.

ESTADO VIVE ESCALADA DE VIOLÊNCIA

Desde a sexta-feira (18), o Mato Grosso registra uma escalada da violência na BR-163.

As rodovias do estado voltaram a ser alvo de bloqueios e outros atos criminosos supostamente em represália à decisão do ministro Alexandre de Moraes de bloquear as contas de 43 suspeitos de envolvimento em manifestações antidemocráticas de bolsonaristas que não aceitam o resultado da eleição.

Nesta segunda, o procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou que articula junto ao Ministério da Justiça e Segurança Pública o uso da Força Nacional para auxiliar na desmobilização de interdições nas estradas.