Mercado fechado

Comerc Energia compra gestora para ampliar presença no Nordeste, mira novas aquisições

Linhas de transmissão de energia

Por Letícia Fucuchima

SÃO PAULO (Reuters) - A Comerc Energia está ampliando sua participação no mercado livre de energia da região Nordeste com a compra da Soma, gestora e consultora de soluções em energia, e avalia novas oportunidades para continuar crescendo sua carteira de clientes, disse nesta sexta-feira o CEO do grupo, André Dorf.

Anunciada na noite de quinta-feira, a aquisição de 70% do capital da Soma, por valor não revelado, agregará cerca de 300 unidades consumidoras, entre indústrias e comércios de grande porte, ao portfólio atual da Comerc.

Com isso, a participação do grupo no mercado nordestino passará de 14% para 19%, com potencial de crescer ainda mais a partir da oferta de outros serviços da plataforma da Comerc além da própria gestão de energia, como geração distribuída solar, projetos de eficiência energética e ferramentas de descarbonização.

"Queremos aproveitar para fazer um 'cross-sell' de todos os produtos que temos, nossa estrutura estava limitada para fazer isso sozinhos na região", apontou Dorf, à Reuters.

O diretor de Novos Negócios da Comerc, Antonio Camargo, disse que com a transação a Soma também poderá atuar no processo de abertura do mercado livre a consumidores de pequeno porte.

A representação de pequenos consumidores, que compõem o segmento chamado "varejo" do setor elétrico, na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), deve ser feito por meio de uma comercializadora varejista --veículo que a Soma não possuía, em um mercado que poderá crescer com o impulso de sua nova proprietária.

Pelas estimativas da Comerc para a região Nordeste, existem hoje cerca de 10 mil unidades consumidoras aptas a migrar ao mercado livre dentro das regras atuais. Com a iminente abertura do mercado, o potencial aumentaria para cerca de 70 mil unidades.

"A Soma não tem uma comercializadora de energia, então todos os benefícios de operações de troca de energia, vamos poder oferecer... A gente tirar o peso da estrutura deles e abre espaço pra que eles estejam mais próximos do cliente", acrescentou Camargo.

Fundada há 22 anos, a Comerc se consolidou como um dos principais comercializadores e gestores de energia no mercado livre e, nos últimos anos, decidiu complementar o portfólio com ativos de geração.

O grupo vem crescendo este ano após a entrada definitiva da Vibra e da antiga Targus no quadro de sócios. Em maio, a Comerc anunciou a compra de usinas de geração distribuída solar da Energea por 200 milhões de reais.

Novas aquisições continuam no radar, disse Dorf, à medida que a companhia ganha mais eficiência, escala e investe em tecnologia para se tornar uma plataforma "plug and play". "Estamos olhando outras oportunidades com esse perfil (da Soma) e outras em geral, em geração distribuída também".

(Por Letícia Fucuchima)