Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.646,43
    -989,96 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.161,89
    -333,52 (-0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,30 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.867,90
    +27,70 (+1,51%)
     
  • BTC-USD

    34.932,04
    +532,07 (+1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    691,74
    -8,87 (-1,27%)
     
  • S&P500

    3.854,71
    +55,80 (+1,47%)
     
  • DOW JONES

    31.164,75
    +234,23 (+0,76%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.962,47
    +320,19 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.523,26
    -110,20 (-0,38%)
     
  • NASDAQ

    13.294,25
    +308,75 (+2,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4381
    -0,0605 (-0,93%)
     

Comentaristas trocam farpas ao vivo em debate na GloboNews

Giselle de Almeida
·2 minuto de leitura
Demétrio Magnoli (à esquerda na tela de comentaristas) e Gerson Camarotti (na ponta direita) discutem ao vivo. Foto: reprodução/GloboNews
Demétrio Magnoli (à esquerda na tela de comentaristas) e Gerson Camarotti (na ponta direita) discutem ao vivo. Foto: reprodução/GloboNews

Uma discordância entre os comentaristas Demétrio Magnoli e Gerson Camarotti no “Em Pauta”, da GloboNews, deu o que falar nas redes sociais. Tudo porque os dois trocaram farpas durante o debate sobre as aglomerações nas praias durante o Ano Novo e provocaram um “climão” ao vivo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Magnoli decidiu rebater as críticas aos frequentadores das praias nessa época do ano, em que o Brasil enfrenta uma forte segunda onda da Covid-19. Seu argumento se baseava no fato de que milhares de trabalhadores não tiveram opção de ficar em casa para conseguir seu sustento. Segundo a lógica do jornalista, uma aglomeração justificaria a outra.

Leia também:

Voltando-se para Camarotti, ele perguntou: “Você diria que ele [que foi para a praia] é execrável, depois de passar um ano inteiro se aglomerando nos trens para trabalhar em setores essenciais, porque agora ele se aglomerou na Praia Grande?”.

Pego de surpresa com a declaração, o colega retrucou: “Demétrio, você que está colocando essa palavra ‘execrável’. Você que tem que responder essa pergunta! Você tem a recomendação da ciência, e a ciência tem que ser pra todos”.

Interrompido, Camarotti foi ainda mais incisivo: “Lógico que tem que ser pra todos, Demétrio! Bota a palavra na tua boca e responde da forma que você achar melhor. Agora, a ciência tem que ser seguida, não dá para ter exceção, é incompreensível a situação social do país. Uma coisa é trabalho e sobrevivência, outra coisa é festividade. É preciso ter bom senso, Demétrio!”.

Magnoli, então, pontuou: “É preciso, mas não existe só uma ciência chamada Epidemiologia, existe uma outra ciência chamada Sociologia e outra chamada Antropologia”.

A apresentadora Cecilia Flesch tentou intervir: “Mas Demétrio, infelizmente não somos nós que vamos resolver esse dilema aqui, né? Existe muita reclamação...”. No entanto, a discussão continuou, com uma interrupção de Camarotti: “Contaminação tem que ser a Epidemiologia, sim”.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube