Mercado fechará em 9 mins
  • BOVESPA

    111.292,01
    -781,54 (-0,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.307,88
    -711,03 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,81
    +0,40 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.932,10
    -10,70 (-0,55%)
     
  • BTC-USD

    24.083,90
    +1.017,05 (+4,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    551,03
    +5,72 (+1,05%)
     
  • S&P500

    4.187,49
    +68,28 (+1,66%)
     
  • DOW JONES

    34.040,91
    -52,05 (-0,15%)
     
  • FTSE

    7.820,16
    +59,05 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    21.958,36
    -113,82 (-0,52%)
     
  • NIKKEI

    27.402,05
    +55,17 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    12.891,75
    +477,50 (+3,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4787
    -0,0757 (-1,36%)
     

Começa em San Francisco julgamento por fraude contra Elon Musk

Um julgamento por fraude contra o magnata Elon Musk começou nesta terça-feira (17) em San Francisco, nos Estados Unidos, com a seleção dos membros do júri, que deverá decidir se o dono de Tesla e Twitter escreveu uma mensagem fraudulenta em 2018, como denunciam investidores.

O assunto data de agosto de 2018, quando Musk fez um tuíte assinalando que queria retirar a fabricante de automóveis elétricos da bolsa e que tinha o devido financiamento para isso.

Seu comentário fez o preço das ações da Tesla oscilarem fortemente por muitos dias.

"Os querelantes afirmam que esses tuítes eram falsos e afetaram artificialmente a cotação da Tesla e de outras ações", resumiu o juiz Edward Chen, ao se dirigir aos candidatos para integrar o júri.

Na sexta-feira, o magistrado rechaçou transferir o caso para o Texas, estado onde Musk reside desde que mudou a sede da Tesla da Califórnia.

Sua defesa argumenta que o bilionário não terá um julgamento imparcial em San Francisco, onde comprou o Twitter no fim de outubro e foi bastante criticado por suas decisões sobre a rede social.

Assim, o julgamento será mesmo realizado na cidade californiana e durará três semanas. Musk está entre as testemunhas.

Em uma decisão precedente sobre o caso, o juiz considerou que o tuíte de 2018 poderia ser classificado como "falso e enganoso".

A SEC - a comissão de valores mobiliários dos EUA - também apresentou uma queixa na época e considerou que Musk não apresentara provas da existência do financiamento para retirar a empresa da bolsa.

O órgão regulador determinou que Musk deixasse a presidência do conselho de administração da Tesla e pagasse uma multa de 20 milhões de dólares. Além disso, qualquer tuíte seu relacionado com a empresa precisaria da aprovação de um jurista competente.

Musk até que tentou anular essa decisão, mas não obteve sucesso.

juj/jum/led/mr/llu/rpr/am