Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    56.432,11
    -5.959,52 (-9,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Começa contagem dos votos sobre criação do primeiro sindicato da Amazon nos EUA

·1 minuto de leitura
Organizador sindical se manifesta em frente ao centro de atendimento da Amazon em Bessemer, Alabama em 27 de março de 2021

A contagem dos votos emitidos por trabalhadores de uma instalação da Amazon no Alabama começou nesta terça-feira (30) e dependerá de seu resultado a criação do primeiro sindicato dessa empresa nos Estados Unidos.

A apuração deve levar vários dias devido a possíveis impugnações e a Amazon alertou que tentará evitar a formação de sindicatos em suas operações.

"Pedimos a todos os nossos funcionários que votem e tenham suas vozes ouvidas nos próximos dias", disse à AFP uma porta-voz da gigante do comércio on-line.

"Nossos funcionários conhecem a realidade: salários iniciais de 15 dólares por hora ou mais, seguro saúde desde o primeiro dia e um local de trabalho seguro e inclusivo", acrescentou.

A apuração dos votos, que começaram a ser enviados pelo correio em 8 de fevereiro, acontecerá a portas fechadas e sob supervisão da agência de relações trabalhistas americana.

Os votos podem ser contestados por uma ampla variedade de motivos, como assinaturas no lugar errado ou a descrição errada da função na empresa.

Se aprovado pela maioria, o sindicato representaria os 5.800 funcionários da unidade de triagem e embalagem de Bessemer, Alabama.

Se for formado, o sindicato pode abrir caminho para a criação de outros nas demais instalações da Amazon e também em outras empresas.

Líderes sindicais e políticos alegam que os funcionários da Amazon trabalham sob pressão constante, proteção trabalhista mínima e enfatizam que precisam negociar coletivamente.

A Amazon, que com 800 mil trabalhadores é a segunda maior empregadora dos Estados Unidos, afirma que seus funcionários não precisam de sindicato e que já lhes paga mais do que muitas outras empresas.

juj-gc/to/gm/yo/jc/mvv