Mercado fechado

Com vacina de apenas uma dose contra a covid-19, Janssen vai pedir uso emergencial no Chile

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
LEIDEN, NETHERLANDS - FEBRUARY 5: General exterior view of the head office of Janssen pharmaceutical company on Februyary 5, 2021 in Leiden, Netherlands. The American mother company of Janssen, Johnson & Johnson has requested quick approval in the United States for the coronavirus vaccine that was developed by Janssen Vaccines in Leiden. (Photo by Niels Wenstedt/BSR Agency/Getty Images)
Janssen, laboratório da Johnson & Johnson, tem acordo de venda de 4 milhões de doses da vacina contra a covid-19 para o Chile (Foto: Niels Wenstedt/BSR Agency/Getty Images)

A Janssen, laboratório da empresa Johnson & Johnson, vai pedir o uso emergencial da vacina contra a covid-19 no Chile. Segundo o jornal chileno La Tercera, o pedido deve ser feito nas próximas duas semanas.

O grande diferencial da vacina da Janssen é ser dose única. No Chile, assim como no Brasil, a vacina usada para imunizar em massa é a CoronaVac, ministrada em duas doses.

Ao mesmo tempo, a empresa já entrou com o pedido no FDA, órgão regulatório dos Estados Unidos. A análise deve ser feita no dia 26 de fevereiro. “Como companhia, na semana passada pedimos a autorização para uso emergencial no FDA nos Estados Unidos e vamos compartilhar os dados com autoridades regulatórias em todo o mundo. Planejamos uma apresentação dos pedidos de aprovação baseada nesses resultados”, explicou Paula Barreyro, diretora de assuntos médicos e regulatório da Janssen América Latina, ao La Tercera.

“No caso do Chile, estamos levando adiante o processo para conseguir autorização do ISP (Instituto de Salud Publica) para conseguir a autorização do uso emergencial no país”, explicou Barreyro. O Chile tem um acordo para a compra de quatro milhões de doses da empresa.

Leia também

A empresa realizou estudos clínicos no Chile, como explica Juan Roldán, chefe da Agencia Nacional de Medicamentos. “A Janssen é uma das vacinas que tem estudos clínicos aqui no Chile e já tivemos a oportunidade de analisar os antecedentes preliminares dessa vacina”, disse ao La Tercera. “A eficácia da vacina está dentro de um nível aceitável para combater a covid-19 e é de cerca de 66%.”

O estudo clínico da vacina da Janssen é conduzido pela Faculdade de Medicina da Universidad de Chile. Segundo especialistas que trabalham na pesquisa, os efeitos adversos são poucos.

No Brasil, a empresa também está realizando estudos clínicos. No entanto, ainda não há acordo de compra entre a Janssen e o governo federal.

Além da vacina da Janssen, o Chile tem acordos com a Sinovac, Pfizer e AstraZeneca, todas vacinas que precisam de duas doses.

No país, já foram vacinadas 1,2 milhões de pessoas, a maior parte com a CoronaVac. O país tem 19 mil mortos pela covid-19 e 760 mil pessoas foram infectadas pelo coronavírus. A expectativa do governo chileno é imunizar toda a população até o fim do primeiro semestre.