Mercado abrirá em 7 h 51 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +0,46 (+0,71%)
     
  • OURO

    1.685,30
    +7,30 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    53.831,64
    +3.485,23 (+6,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.087,13
    +62,93 (+6,14%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    +88,61 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    28.924,92
    +384,09 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    28.918,94
    +175,69 (+0,61%)
     
  • NASDAQ

    12.458,00
    +160,75 (+1,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9718
    +0,0120 (+0,17%)
     

Com texto emocionante, árbitra Edina Alves celebra ida ao Mundial de Clubes: 'Não estaremos sozinhas'

Nathalia Almeida
·1 minuto de leitura

No próximo mês de fevereiro, no Qatar, três representantes brasileiros estão com passaporte garantido para a disputa do Mundial de Clubes FIFA: um deles sairá da grande decisão da Conmebol Libertadores, a ser disputada no próximo sábado (30) entre Palmeiras e Santos. E os outros dois, ou melhor, duas, farão parte do quadro de profissionais de arbitragem escolhidos pela entidade para a disputa da competição.

Como destaca o UOL Esportes, o Brasil terá sua arbitragem representada no Mundial de Clubes por uma dupla feminina: Edina Alves Batista (árbitra) e Neuza Back (assistente) foram aprovadas nos testes físicos e estão confirmadas na competição. Será a primeira vez na história que mulheres comandarão um jogo oficial de torneios FIFA do futebol masculino.

Corinthians v Palmeiras - Sao Paulo State Championship Final 1Leg | MB Media/Getty Images
Corinthians v Palmeiras - Sao Paulo State Championship Final 1Leg | MB Media/Getty Images

Através de uma de suas redes sociais oficiais, a árbitra Edina Alves Batista (SP) celebrou sua ida ao Mundial de Clubes com um texto bastante emocionante, reforçando seu amor pelo futebol e tratando sua seleção como uma conquista coletiva que abraça, principalmente, todas as mulheres que vivem do esporte e lutam para ter mais oportunidades e reconhecimento.

"Essa publicação representa o tamanho da gratidão que sinto atualmente. Ela retrata também todo o meu amor pelo futebol, esse esporte que inspira, motiva e transforma a vida de tantas pessoas. Um modo de vida capaz de criar referências e trazer evolução para a sociedade (...) Nós estaremos no Mundial de Clubes da Fifa. Mas não estaremos sozinhas. Essa convocação também inclui nossos familiares, as instituições que representamos, instrutores, professores, amigos da arbitragem, amigos e acima de tudo todas as mulheres que sonham alçar voos maiores", publicou a árbitra.