Mercado abrirá em 2 h 26 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,48
    +0,33 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.814,90
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    38.019,37
    +86,73 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    940,28
    +13,51 (+1,46%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.118,41
    -5,45 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.108,00
    +34,50 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1211
    +0,0028 (+0,05%)
     

Com Safra, multas a bancos por irregularidades no direito ao consumidor chegam a R$ 30 milhões

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Secretaria Nacional do Consumidor aplicou multa de R$ 2,4 milhões no banco Safra porque seus correspondentes bancários cometeram atos abusivos ao ofertar crédito consignado a idosos.

É a quinta multa aplicada em bancos neste ano pela Senacon, cujos valores somados alcançam R$ 29,9 milhões, por irregularidades relacionadas ao direito do consumidor.

Além do Safra, receberam punições o Banco Cetelem (R$ 4 milhões), Banco Pan (R$ 8,8 milhões), Banco Itaú (9,6 milhões) e Banco BMG (R$5,1 milhões).

Representantes do Safra, segundo a secretaria, exploraram a hipervulnerabilidade de idosos aposentados e pensionistas do INSS.

Segundo o órgão ligado ao Ministério da Justiça, ficou comprovado que o banco por meio de seus representantes usou dados pessoais de idoso para assediá-los com propostas de crédito.

A investigação da secretaria mostrou que os consumidores não eram informados do uso de dados e de cadastro.

A multa foi aplicada porque o Safra não teria sido diligente na fiscalização da atuação dos seus representantes.

O Safra não se manifestou. Interlocutores do banco afirmam que se trata de procedimento administrativo em 1ª instância passível de recurso e que a multa aplicada foi a menor entre os bancos.

O BMG afirma que recorrerá da multa uma vez que o procedimento administrativo não demonstrou qualquer irregularidade. O banco afirma ainda que tem promovido constantes melhorias no processo de oferta de crédito aos clientes.

O Itaú Unibanco disse que adota critérios rigorosos de seleção e controle para monitorar seus correspondentes bancários. Sobre a multa da Senacon, o banco afirma que foram desconsiderados argumentos relevantes e irá recorrer da decisão.

O PAN disse que a manifestação da Senacon refere-se a um entendimento administrativo preliminar e que recorreu da multa. O banco afirma ainda que participa da “Autorregulação do Crédito Consignado”, implementada pela Febraban para redução do número de reclamações.

O Cetelem afirmou que age em conformidade com a lei e recorrerá da multa. Em nota, o banco diz que adota rigorosos métodos de controle e monitora seus correspondentes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos