Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.774,57
    -1.140,88 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.007,16
    +308,44 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,54
    -0,64 (-0,97%)
     
  • OURO

    1.781,80
    +8,20 (+0,46%)
     
  • BTC-USD

    56.908,08
    -340,21 (-0,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.442,71
    -26,37 (-1,79%)
     
  • S&P500

    4.513,04
    -53,96 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.022,04
    -461,68 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.168,68
    +109,23 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    15.848,75
    -301,75 (-1,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4469
    +0,0769 (+1,21%)
     

Com "retina artificial", paciente cega volta a enxergar mesmo sem usar os olhos

·1 min de leitura

Um estudo da Universidade Miguel Hernández (Espanha) publicado no The Journal of Clinical Investigation encontrou uma forma alternativa de devolver a visão para pacientes cegos: por meio de um óculos que estimula diretamente o córtex. Na prática, a invenção usa uma “retina artificial” e detecta a luz na frente de seu usuário.

Os pesquisadores testaram o sistema em uma mulher de 57 anos que estava completamente cega por mais de 16 anos. Durante o experimento, a paciente foi finalmente capaz de identificar formas e silhuetas detectadas pela retina artificial. Segundo os autores do estudo, a paciente também conseguiu discernir algumas letras e até reconhecer os tamanhos dos objetos.

(Imagem: Divulgação/Universidade Miguel Hernández)
(Imagem: Divulgação/Universidade Miguel Hernández)

O implante tem apenas 4 mm de largura e cada um dos minúsculos eletrodos tem 1,5 mm de comprimento. Eles penetram no cérebro para que possam estimular e monitorar a atividade elétrica dos neurônios no córtex visual. Esse implante não afetou de outra forma a função do córtex cerebral, nem estimulou outros neurônios.

No entanto, segundo afirmações dos próprios especialistas envolvidso, há muito trabalho pela frente antes que a tecnologia possa ser usada em um nível prático, então os cientistas agora estão recrutando voluntários com diferentes níveis de deficiência visual para novos experimentos. O estudo pode ser acessado aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos