Mercado fechará em 3 h 56 min
  • BOVESPA

    106.432,15
    +69,05 (+0,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.552,88
    -161,72 (-0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,45
    -0,21 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.799,60
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    61.521,60
    +2.312,49 (+3,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.482,69
    +63,31 (+4,46%)
     
  • S&P500

    4.587,34
    +35,66 (+0,78%)
     
  • DOW JONES

    35.687,75
    +197,06 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.248,95
    -4,32 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    25.555,73
    -73,01 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.820,09
    -278,15 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    15.734,00
    +146,75 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5599
    +0,1352 (+2,10%)
     

Com resgate de funcionários, Vale agora foca em credenciais ESG

·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Vale conseguiu resgatar todos os 39 funcionários presos em uma mina subterrânea esta semana. Agora, começa o trabalho de convencer investidores de que o incidente foi um caso isolado.

Most Read from Bloomberg

O acidente de domingo na mina de Sudbury, Ontário, chama a atenção em uma empresa que ainda tenta restaurar sua imagem em responsabilidade corporativa depois de dois desastres em barragens de rejeitos. Provar suas credenciais ambientais, sociais e de governança, ou ESG na sigla em inglês, é fundamental para que a Vale reduza o desconto dado às suas ações em relação aos papéis de suas principais rivais.

“Episódios como este não combinam com o ESG”, disse Andrew Cosgrove, analista da Bloomberg Intelligence. “Eles têm uma batalha difícil.”

O incidente de Sudbury traz lembranças do angustiante resgate de mineiros há 11 anos em uma mina subterrânea no Chile, que durou 69 dias. Felizmente, a Vale conseguiu retirar todos com segurança em menos de três dias.

“Após a conclusão do resgate de todos os empregados com segurança, a Vale começou uma investigação interna sobre o ocorrido na mina subterrânea Totten, em Sudbury”, informou a empresa por e-mail. Desde o rompimento da barragem de Brumadinho em 2019, a mineradora nomeou um diretor responsável por segurança, criou cinco comitês executivos para gestão de risco e implementou “profundas revisões” em sua estrutura de prevenção de acidentes, segundo a Vale.

O acidente esta semana, causado pelo desprendimento de uma pá escavadeira que afetou o sistema de transporte entre a superfície e o subsolo, teve grande impacto físico e emocional sobre os envolvidos.

Ainda assim, foi muito menos grave do que os rompimentos das barragens da Samarco em Mariana - uma joint venture da Vale e BHP -, e da mineradora brasileira em Brumadinho, que mataram 290 pessoas e causaram estragos no meio ambiente.

Desde o desastre de Brumadinho, um dos mantras de Eduardo Bartolomeo, diretor-presidente da Vale, tem sido: “segurança, pessoas e reparação”. Com o rompimento da barragem em 2019, a Vale perdeu o posto de maior produtora de minério de ferro do mundo, o que também levou a uma reestruturação da segurança e governança na empresa.

Embora a Vale tenha conseguido reduzir a distância em relação à Rio Tinto e à BHP, a ação da mineradora brasileira ainda é negociada com desconto em comparação com as rivais cujas minas australianas estão mais próximas das siderúrgicas chinesas.

“Parece que o tempo e um histórico de saúde relativamente limpo, além da execução de várias outras iniciativas, serão necessários para causar impacto de forma significativa”, disse Cosgrove. “A mineração é um negócio difícil.”

Três dias antes do incidente de Sudbury, a Vale dedicou parte de uma apresentação sobre ESG liderada por Bartolomeo para explicar a agenda de saúde e segurança da empresa, incluindo o uso de inovação para reduzir acidentes.

Em resposta à apresentação, analistas da XP Investimentos elogiaram a disposição da Vale em aumentar a transparência rumo às melhores práticas ESG, observando, no entanto, que ainda há passos importantes a serem dados.

Percebendo a importância do incidente no Canadá para esses esforços, Bartolomeo se reuniu com funcionários e a equipe de resgate em Sudbury. O sindicato que representa a maioria dos trabalhadores que ficaram presos pediu a todos os envolvidos que nunca se esqueçam do risco enfrentado por mineiros sempre que trabalham em operações subterrâneas.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos