Mercado abrirá em 8 h 54 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,17
    +0,09 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.776,10
    -7,30 (-0,41%)
     
  • BTC-USD

    32.724,07
    -1.311,65 (-3,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    790,33
    -19,86 (-2,45%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.074,06
    -15,95 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.825,48
    +8,41 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    28.880,42
    +5,53 (+0,02%)
     
  • NASDAQ

    14.305,50
    +42,50 (+0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9255
    -0,0030 (-0,05%)
     

Com nova lei, golpes no WhatsApp podem dar até 8 anos de prisão

·2 minuto de leitura
Com nova lei, golpes no WhatsApp podem dar até 8 anos de prisão
Com nova lei, golpes no WhatsApp podem dar até 8 anos de prisão

A pena para quem cometer golpes no WhatsApp vai ficar mais dura com a nova lei contra crimes digitais sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro na última quinta-feira (27). Agora, estelionato cometido com o uso de equipamentos eletrônicos, como smartphones, pode dar até oito anos de reclusão dependendo dos agravantes.

Invasão em smartphones, seja através de violação de senha ou com uso de programas inovadores, pode dar entre um e quatro anos de cadeia. Anteriormente, a pena para esses casos era de três meses a um ano de prisão além de multa.

Pena mais dura contra golpes no WhatsApp

Se a invasão do equipamento alheio conseguir conteúdo privado, incluindo mensagens ou até mesmo segredos industriais, a pena pode ser de dois a cinco anos de reclusão. Antes, para esses casos, o máximo de prisão eram dois anos.

Agora se os golpes, no WhatsApp ou qualquer outra plataforma, forem contra idosos ou pessoas consideradas vulneráveis, todas essas pernas podem aumentar entre um terço e até o dobro. Outro agravante é caso os servidores envolvidos no crime sejam de fora do país, que pode aumentar a pena em até dois terços.

Leia mais:

O Projeto de Lei é de autoria do senador Izalci Lucas (PSDB) e foi aprovado pelo congresso nacional no começo do mês. A principal mudança é a alteração do código penal para a adição de agravantes para os crimes cometidos com o uso de aparelhos eletrônicos, mesmo que eles não estejam conectados na internet.

Na apresentação, o senador justificou a nova proposta por conta do aumento de crimes cibernéticos, incluindo golpes no WhatsApp, durante a pandemia da Covid-19, em que as pessoas estão passando mais tempo em casa e ficam mais vulneráveis para esse tipo de ataque.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos